Américas Trump ameaça retirar licença às televisões que o criticam

Trump ameaça retirar licença às televisões que o criticam

Presidente norte-americano fez segundo "tweet" sobre o tema em poucas horas, defendendo que as licenças televisivas devem ser desafiadas e eventualmente revogadas.
Trump ameaça retirar licença às televisões que o criticam
JOSHUA ROBERTS
Negócios 12 de outubro de 2017 às 18:20

Donald Trump está a subir o tom na sua guerra com algumas cadeias de televisão norte-americanas, como a NBC e a CNN. No espaço de poucas horas, o presidente dos EUA fez dois "tweets" sobre o assunto, chegando ao ponto de admitir que as licenças destas para emitir poderiam vir a ser revogadas.

"Com todas as fake news vindas da NBC e das cadeias, em que ponto se tornará admissível questionar as suas licenças? Mau para o país!", foi a primeira destas mensagens. Mas depois a ideia foi reforçada: "As notícias das cadeias tornaram-se tão tendenciosas, distorcidas e falsas que as suas licenças têm de ser questionadas e, se for apropriado, revogadas. Não é justo para o público!", escreveu de seguida.

As críticas da comunicação social não tardaram, com vários jornais a lembrarem que esta aparente estratégia só tem um precedente conhecido: Richard Nixon e a sua tentativa de retirar licenças legais ao Washington Post, na sequência do escândalo Watergate. 

No entanto, mesmo que Trump quisesse avançar com uma medida deste tipo, não é claro como o poderia fazer, já que não tem os poderes legais para esse efeito. A competência de uma análise dessas é da Federal Communications Commission (FCC), uma agência governamental mas que goza de um estatuto de independência face à Casa Branca. O presidente nomeia o líder da FCC mas não pode influenciar as suas decisões.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar