Américas Trump arranca mandato com mais derrotas do que vitórias

Trump arranca mandato com mais derrotas do que vitórias

Cumprido o primeiro de quatro anos do mandato presidencial, Donald Trump teve escassas vitórias legislativas. Ainda assim, conseguiu cumprir algumas das mais emblemáticas promessas. Insuficiente para fazer de Trump um presidente popular.
David Santiago 20 de janeiro de 2018 às 15:00
Há um ano, quando Donald Trump tomou posse como presidente dos Estados Unidos, persistia uma dúvida central: iria o magnata mudar tudo e desafiar todas as regras vigentes ou poderia a Casa Branca ter um efeito normalizador capaz de lhe atribuir um perfil presidencial.

Volvidos 12 meses, parte da dúvida está desfeita. Trump promoveu uma governação que foi tudo menos ordinária. Redefiniu a presidência e infringiu todas as normas, recorrendo a ataques e insultos que desagregaram ainda mais a já polarizada sociedade norte-americana.

Já as mudanças prometidas pelo presidente "anti-establishment" nem sempre se concretizaram, ou apenas parcialmente. Trump não foi o agente da mudança do sistema. Pelo contrário, foi aliado de poderosos sectores (financeiro e petrolífero), onde promoveu algumas das maiores alterações, como a desregulamentação financeira ou a recolocação dos EUA no paradigma dos recursos fósseis.

No plano externo, o proteccionismo e anti-multilateralismo de Trump encontraram par na vontade da China assumir a liderança do mundo global, o que diminui e fragiliza o papel dos Estados Unidos numa ordem internacional cada vez mais desordenada e multilateral.

Mas nem tudo foi mau para Trump. Foi sob a batuta do actual presidente que a maior economia mundial reforçou quase todos os indicadores e que foi aprovada a maior reforma fiscal em 30 anos.

Neste contexto, Trump completa o primeiro ano do mandato presidencial com a pior taxa de popularidade quando comparada com os últimos sete presidentes.





pub