Américas Trump arranca mandato com mais derrotas do que vitórias

Trump arranca mandato com mais derrotas do que vitórias

Cumprido o primeiro de quatro anos do mandato presidencial, Donald Trump teve escassas vitórias legislativas. Ainda assim, conseguiu cumprir algumas das mais emblemáticas promessas. Insuficiente para fazer de Trump um presidente popular.
David Santiago 20 de janeiro de 2018 às 15:00
Há um ano, quando Donald Trump tomou posse como presidente dos Estados Unidos, persistia uma dúvida central: iria o magnata mudar tudo e desafiar todas as regras vigentes ou poderia a Casa Branca ter um efeito normalizador capaz de lhe atribuir um perfil presidencial.

Volvidos 12 meses, parte da dúvida está desfeita. Trump promoveu uma governação que foi tudo menos ordinária. Redefiniu a presidência e infringiu todas as normas, recorrendo a ataques e insultos que desagregaram ainda mais a já polarizada sociedade norte-americana.

Já as mudanças prometidas pelo presidente "anti-establishment" nem sempre se concretizaram, ou apenas parcialmente. Trump não foi o agente da mudança do sistema. Pelo contrário, foi aliado de poderosos sectores (financeiro e petrolífero), onde promoveu algumas das maiores alterações, como a desregulamentação financeira ou a recolocação dos EUA no paradigma dos recursos fósseis.

No plano externo, o proteccionismo e anti-multilateralismo de Trump encontraram par na vontade da China assumir a liderança do mundo global, o que diminui e fragiliza o papel dos Estados Unidos numa ordem internacional cada vez mais desordenada e multilateral.

Mas nem tudo foi mau para Trump. Foi sob a batuta do actual presidente que a maior economia mundial reforçou quase todos os indicadores e que foi aprovada a maior reforma fiscal em 30 anos.

Neste contexto, Trump completa o primeiro ano do mandato presidencial com a pior taxa de popularidade quando comparada com os últimos sete presidentes.





A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 4 semanas

Será o Costa, o Trump tuga?

Anónimo Há 4 semanas

Se o Suport Lisboa Bieira já enrolou 400 milhões, que está em dívidas, que vai (fingir) tentar recuperar (só se for com a ajuda do Socras e do PES) em 5 anos (que decerto tirará mais), estamos num país de gaitunos. Mas que grande caca. E só tem bitórias. Será que é da IURD?

Anónimo Há 2 horas

Os media portugueses só veem a cnn / nbc (esquerda claro) leem néw york times /wa. Post (esquerda ) e depois só desinformam os portugueses. Vejam a fox news leiam outros jornais e ouçam outras rádios.. A maioria dos americanos estão com Trump.

Anónimo Há 3 horas

Uma américa com bons indicadores incomodam o Mundo e os democratas que com o domocratra -shut-down -está a por em risco a vida de mts americanos e aliados espalhados pelo mundo.A politica das primaveras arabes é q estava correta?Os migrantes são resultado da ação dos democratas de OBAMA.

ver mais comentários
pub