Mundo Trump deverá actuar hoje em relação ao acordo nuclear com o Irão

Trump deverá actuar hoje em relação ao acordo nuclear com o Irão

O presidente dos Estados Unidos provavelmente vai tomar uma posição em relação ao acordo nuclear com o Irão esta sexta-feira. Donald Trump deverá anunciar uma abordagem mais agressiva em relação às actividades iranianas no Médio Oriente.
Trump deverá actuar hoje em relação ao acordo nuclear com o Irão
Negócios com Reuters 13 de outubro de 2017 às 15:23

O presidente dos Estados Unidos da América vai provavelmente tomar uma posição, esta sexta-feira, em relação ao acordo nuclear internacional com o Irão. De acordo com a agência Reuters, Donald Trump deverá anunciar uma abordagem mais agressiva face às actividades de Teerão no Médio Oriente. A posição que Washington adoptar pode desagradar aos aliados europeus dos Estados Unidos.

"É tempo para que todo o mundo se junte a nós na exigência de que o governo do Irão termine com a sua busca da morte e destruição", referiu o presidente norte-americano num comunicado da Casa Branca, citado pela agência.

Funcionários norte-americanos acreditam que Trump anuncie que não vai certificar o acordo nuclear de 2015, assinado entre o Irão, os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas (Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China) e a Alemanha, conhecido como P5+1.

Na prática, esta tomada de posição não retira automaticamente os norte-americanos do acordo nuclear, mas dá ao Congresso dos EUA 60 dias para decidir se vai impor novas sanções ao Irão. As sanções a Teerão foram suspensas pela administração Obama devido às negociações com vista ao acordo nuclear, de acordo com a Reuters.

O presidente norte-americano terá enfrentado uma grande pressão quando estava a avaliar a possibilidade de não certificar o acordo, uma posição que ignora os alertas que foram dados quer pelos membros da administração norte-americana, como fora da administração.

Por outro lado, acrescenta a Reuters, se os Estados Unidos não certificarem o acordo nuclear, isso pode prejudicar a credibilidade norte-americana no estrangeiro.




pub