Mundo Trump disponível para falar com líder norte-coreano

Trump disponível para falar com líder norte-coreano

O Presidente norte-americano, Donald Trump, está disposto a falar com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e espera que as duas Coreias dialoguem para além do “grande começo” que representam as conversações sobre os Jogos Olímpicos de Inverno.
Trump disponível para falar com líder norte-coreano
reuters
Lusa 06 de janeiro de 2018 às 21:57

Questionado se estaria disponível para manter uma conversação telefónica com o presidente norte-coreano, Trump afirmou este sábado, 6 de Janeiro, que acredita sempre "em falar".

"A nossa postura, sabem qual é. Nós somos muito firmes. Mas eu estaria… sim, eu faria isso [falar com Kim Jong-un]. Não há problema com isso, para nada", indicou numa conferência de imprensa no retiro presidencial de Camp David (Maryland).

À pergunta sobre se isso significa que não há requisitos prévios para se sentar a negociar com Pyongyang, Trump deixou claro: "Isso não foi o que eu disse, de todo".

"Atenção, agora estão a falar sobre os Olímpicos. É um começo. É um grande começo. Se eu não estivesse envolvido, eles não estariam envolvidos sobre os Olímpicos agora mesmo", defendeu o chefe de Estado norte-americano, que novamente atribuiu a si próprio o mérito do diálogo entre as duas Coreias.

"[Kim Jong-un] sabe que não estou a brincar. Não estou a brincar. Nem sequer um pouco. Ne sequer 1%. Ele sabe isso", sublinhou.

Trump expressou também o seu desejo de que a Coreia do Norte participe nos Olímpicos e de que o diálogo continue depois da competição.


Na sua mensagem de Ano Novo, o líder norte-coreano manifestou o seu desejo de que o país participe nos Jogos Olímpicos de Inverno, que se celebram na região sul-coreana de Pyeongchang de 9 a 25 de Fevereiro.


Hoje, representantes dos dois países mantiveram as primeiras conversações para preparar a sua reunião de alto nível de 9 de Janeiro, a primeira em mais de dois anos.


A Coreia do Norte aceitou na sexta-feira a proposta do Sul de realizar uma reunião em Panmunjom a 9 de Janeiro para tratar do envio de uma delegação norte-coreana aos Olímpicos, assim como uma melhoria dos laços em termos gerais.


A participação norte-coreana em Pyeongchang e um melhor entendimento entre os dois países, que tecnicamente se mantêm em terra, poderia contribuir para aliviar a tensão regional, depois de um 2017 marcado pelos contínuos testes de armamento do Norte e o tom beligerante de Trump.


Apesar do tom conciliador de hoje, o Presidente norte-coreano começou o ano somando um novo capítulo dos seus ataques a Kim Jong-un, ao afirmar que o seu botão nuclear é "maior e mais poderoso" que o de Pyongyang.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Russia e China 07.01.2018

Russia e China irão aniquilar do cimo da terra os Eua em caso de guerra nuclear.

5640533 07.01.2018

Ao Anónimo das 15 h. Da Lusa nunca sai voisa de jeito.

Dono dos Burros 07.01.2018

A América finalmente tem um líder político. Até quando, não se sabe. E podem falar em inglês, os coreanos são mais inteligentes que os ianques.

Desanimado 07.01.2018

E de que é que vão falar dois imbecis???

ver mais comentários
pub