Américas Trump garante ao presidente chinês apoio de longa data à política “Uma só China”

Trump garante ao presidente chinês apoio de longa data à política “Uma só China”

Donald Trump, numa chamada telefónica com o presidente chinês, reafirmou o seu apoio de longa data à política “Uma só China”. Entretanto, os últimos dados indicam que as exportações chinesas para os Estados Unidos cresceram em Janeiro.
Trump garante ao presidente chinês apoio de longa data à política “Uma só China”
Ana Laranjeiro 10 de fevereiro de 2017 às 08:10

Donald Trump garantiu ao presidente chinês, Xi Jinping, que há muito que apoia a política "Uma só China", que tem por base o princípio que existe apenas uma China e regiões como Hong Kong, Macau e Taiwan integram o país.

A Casa Branca informou, nas últimas horas, que o presidente norte-americano revelou este apoio na primeira chamada telefónica que realizou com o seu homólogo chinês. "Os dois líderes discutiram vários tópicos e o presidente Trump concordou, a pedido do presidente Xi, em honrar a política 'Uma só China'", revelou a Casa Branca, em comunicado citado pela Bloomberg. Os dois presidentes "também apresentaram convites para conhecerem os respectivos países. O presidente Trump e o presidente Xi aguardam com expectativa mais conversas com resultados positivos".


A televisão estatal chinesa, a China Central Television, citada pela mesma fonte, acrescenta que o presidente chinês salientou a necessidade de os dois lados aumentaram a cooperação. Xi Jinping apontou que o país está disponível para impulsionar os laços com os EUA em questões como comércio, investimento tecnologia, energia e infra-estruturas. Além disso, e de acordo com a televisão estatal, o presidente do gigante asiático referiu que ambas as nações devem melhorar a comunicação em questões como assuntos internacionais e militares.


"Enfrentando uma situação mundial extremamente complicada e com desafios crescentes, há a grande necessidade de continuar a melhorar a cooperação entre a China e os EUA", disse Xi Jinping, adiantou a CCTV.


Esta comunicação entre os dois presidentes podem ajudar a acalmar os ânimos entre as duas potências mundiais. Além das críticas que Trump lançou sobre a China durante a campanha eleitoral, o actual presidente acedeu a manter uma conversa telefónica com a presidente de Taiwan, que queria felicitá-lo pela eleição. Isso bastou para Pequim criticar a "inexperiência" do, na altura, presidente eleito dos EUA. Posteriormente, e antes da tomada de posse, a China sobre consequências de questionar princípio de "Uma só China".


Entretanto, foram divulgados os últimos dados preliminares relativos às exportações chinesas. De acordo com a Bloomberg, as exportações chinesas cresceram 7,9% em Janeiro face ao mesmo período do ano passado, isto em dólares. As importações aumentaram 16,7%. O excedente comercial da China cifra-se em 51,4 mil milhões de dólares.

As exportações chinesas destinadas aos Estados Unidos também terão crescido e a Reuters acrescenta que o excedente comercial da China para com os EUA desceu para 21,37 mil milhões de dólares em Janeiro. Em Dezembro estava nos 21,73 mil milhões de dólares.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub