Américas Trump promete a Rajoy "cooperação estreita" e pede fundos para a NATO

Trump promete a Rajoy "cooperação estreita" e pede fundos para a NATO

Além da conversa com o primeiro-ministro espanhol, o presidente norte-americano esteve ao telefone também com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, com quem também reafirmou o compromisso com a NATO.
Trump promete a Rajoy "cooperação estreita" e pede fundos para a NATO
Reuters
Lusa 08 de fevereiro de 2017 às 07:34

O Presidente dos EUA, Donald Trump, prometeu manter uma "cooperação estreita" com o Governo espanhol encabeçado por Mariano Rajoy e pediu, tal como fez com outros líderes europeus, que Espanha "partilhe o fardo do gasto em defesa" da NATO.

 

Trump e Rajoy mantiveram na terça-feira uma conversa ao telefone, de cerca de 15 minutos, naquele que figurou como o primeiro contacto oficial entre ambos desde que o primeiro chegou à Casa Branca, a 20 de Janeiro, durante a qual abordaram temas de interesse comum, incluindo as relações económicas bilaterais e a luta contra o autoproclamado Estado Islâmico (EI).

 

"Os dois líderes acordaram manter uma estreita cooperação em matéria de segurança, economia e luta contra o terrorismo", informou a Casa Branca em comunicado.

 

Horas antes, o Governo espanhol adiantou que, durante a conversa, Rajoy garantiu que Espanha "está nas melhores condições para ser um interlocutor dos Estados Unidos na Europa, na América Latina e também no norte de África e Médio Oriente".

 

Donald Trump, que durante a sua campanha eleitoral acusou a NATO de estar "obsoleta", estava especialmente interessado em falar sobre o financiamento da Organização do Tratado do Atlântico Norte, tal como fez nas primeiras conversas que manteve enquanto Presidente dos Estados Unidos com outros líderes europeus.

 

"O Presidente Trump reiterou o compromisso dos EUA com a NATO e destacou a importância de todos os aliados partilharem o fardo do gasto em defesa", refere o comunicado da Casa Branca.

 

A mensagem é praticamente idêntica à dos comunicados emitidos após as conversas que Trump manteve ao telefone nos últimos dias com o Presidente francês, François Hollande, e com o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni; e similar também à dos contactos iniciais com o Reino Unido e Alemanha.

Trump insistiu que os parceiros da NATO devem cumprir o seu compromisso de elevar o orçamento da Defesa até 2% do Produto Interno Bruto (PIB).

 

Segundo estimativas, o gasto militar de Espanha é de 0,9% (5.962 milhões de euros em 2016), apesar de o Governo espanhol sustentar que esses números não refletem totalmente a realidade, já que deve adicionar-se, entre outras, as despesas das missões de paz no exterior ou as dos grandes programas de armamento.

 

"Nós estamos comprometidos com a defesa e a segurança transatlântica e fazemos esforços -- umas vezes em dinheiro e outras vezes em espécie", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros espanhol, Alfonso Dastis, durante uma visita a Washington em Dezembro.

 

Rajoy e Trump comentaram ainda a realização, em maio, da cimeira de líderes da NATO em Bruxelas, a qual deverá ser a primeira ocasião que os dois vão ter para se encontrarem fisicamente.

 

A conversa entre Trump e Rajoy também serviu, segundo a Casa Branca, "para reafirmar a forte aliança bilateral numa série de interesses mútuos" e "prioridades partilhadas, incluindo os seus esforços para eliminar o EI".

O Presidente norte-americano, garantiu depois também ao seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, o compromisso dos Estados Unidos com a NATO, apesar das suas críticas no passado, durante uma conversa telefónica igualmente nesta terça-feira.

 

Trump falou da "relação longa e de proximidade entre os Estados Unidos e a Turquia e do seu compromisso partilhado no combate ao terrorismo em todas as suas formas", refere um comunicado da Casa Branca.

 

"O Presidente Trump reiterou o apoio dos Estados Unidos à Turquia como parceiro estratégico e aliado da NATO, e saudou as contribuições da Turquia no âmbito da campanha contra o ISIS", referindo-se ao autoproclamado Estado Islâmico, acrescenta a mesma nota.

 

Esta foi a primeira vez que os dois líderes falaram desde que Trump assumiu a presidência norte-americana, a 20 de Janeiro.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub