Américas Trump: Solução de dois Estados para conflito israelo-palestiniano não é a única possível

Trump: Solução de dois Estados para conflito israelo-palestiniano não é a única possível

O Presidente norte-americano, Donald Trump, defendeu está quarta-feira em conferência de imprensa, ao receber o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, que a "solução de dois Estados" para o conflito israelo-palestiniano não é a única via possível para a paz.
Trump: Solução de dois Estados para conflito israelo-palestiniano não é a única possível
Reuters
Lusa 15 de fevereiro de 2017 às 20:25

"Estou a ponderar as [soluções] de dois Estados e de um Estado, e gosto daquela de que ambas as partes gostarem. Fico muito satisfeito com aquela que as duas partes escolherem. Eu posso viver com qualquer uma delas", disse o chefe de Estado norte-americano.

"Pensei durante um bocado que a [solução] de dois Estados parecia ser a mais fácil das duas, mas honestamente, se o Bibi [Benjamin Netanyahu] e os palestinianos -- se Israel e os palestinianos estiverem satisfeitos -, eu fico satisfeito com aquela que eles preferirem", observou.


A Casa Branca tinha indicado na terça-feira à noite que Washington não insistiria mais na ideia de referência da comunidade internacional da coexistência de dois Estados lado a lado, um israelita e outro palestiniano, e que não ditaria os termos de um eventual acordo de paz entre Israel e os palestinianos.


Em resposta, Netanyahu considerou hoje, na conferência de imprensa conjunta antes de se reunir com Trump, que o novo Presidente dos Estados Unidos oferece "uma oportunidade sem precedentes" para fazer avançar a paz e pôr fim ao mais antigo conflito do planeta.


Donald Trump criticou também o que classificou como acções "injustas e parciais" contra Israel nas Nações Unidas, referindo-se a uma resolução do Conselho de Segurança da ONU adoptada no mês passado que condenava o facto de Israel continuar a construir colonatos nos territórios ocupados.

"Essa é mais uma razão para rejeitarmos acções injustas e parciais contra Israel nas Nações Unidas, que têm tratado Israel, na minha opinião, muito, muito injustamente", sustentou o Presidente norte-americano.


No entanto, Trump instou o Estado hebreu "à contenção" na construção de novos colonatos nos territórios palestinianos ocupados, ao que Netanyahu respondeu que "a questão dos colonatos não está no centro do conflito" com os palestinianos, a quem exige "o reconhecimento do Estado judeu" de Israel.

O Presidente dos Estados Unidos exortou também os palestinianos a livrarem-se do seu alegado "ódio" aos israelitas.

O quarto dirigente estrangeiro a ser recebido pelo novo Presidente dos Estados Unidos, Netanyahu chegou durante a tarde à Casa Branca para se reunir com Trump, estando prevista nova conferência de imprensa após o final do encontro.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub