Mundo Trump volta a atacar imprensa e é apupado e assobiado em Davos

Trump volta a atacar imprensa e é apupado e assobiado em Davos

Depois de novo ataque contra a imprensa, o presidente dos Estados Unidos foi apupado e assobiado durante o Fórum Económico Mundial que terminou esta sexta-feira, em Davos.
Trump volta a atacar imprensa e é apupado e assobiado em Davos
Lusa
Lusa 26 de janeiro de 2018 às 18:32

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi hoje apupado e assobiado em Davos (Suíça) após ter feito mais um ataque contra a imprensa, no final de um discurso recebido com frieza pelo público do Fórum Económico Mundial.

Ainda antes de fazer o discurso de encerramento do Fórum Económico Mundial (WEF), que reúne em Davos a elite económica e política mundial, Trump foi apresentado pelo secretário-geral do evento, Klaus Schwab.

O economista alemão, fundador do WEF, foi o primeiro a ser recebido com alguns assobios por parte da sala de conferências lotada, quando disse que a liderança de Trump à frente dos Estados Unidos tem motivado "equívocos e interpretações tendenciosas".

Pouco depois, Trump iria até ao palanque para proferir o seu discurso de cerca de 15 minutos. Foi recebido com poucos aplausos.

Durante o discurso – no qual recusou as acusações de proteccionismo feitas à sua política económica e salientou o compromisso dos EUA para com o livre comércio e a comunidade internacional – não se registaram os aplausos que interromperam as alocuções de outros chefes de Estado durante os dias da cimeira.

Nem mesmo naquela que terá sido a frase mais forte do seu discurso – "Quando digo que a América está primeiro, não quero dizer que a América está sozinha" – Trump recebeu o reconhecimento da sala de conferências. Apenas no final da sua alocução, Trump recebeu palmas, que a agência norte-americana Associated Press descreveu como "um aplauso educado".

Após o discurso, Klaus Schwab fez algumas perguntas ao Presidente dos Estados Unidos e foi na resposta a uma dela que Trump acabaria por receber o apupo da tarde.

Schwab perguntou a Trump se a sua experiência anterior - como empresário – o tinha preparado para a presidência.

Trump respondeu que nunca um empresário tinha sido eleito Presidente e que a imprensa muitas vezes "tratou bem" quando era apenas um construtor de Nova Iorque.

Esse tratamento, sublinhou Trump, mudou radicalmente quando entrou para a política.

Só quando se tornou um político, disse Donald Trump, é que se apercebeu "até que ponto a imprensa pode ser nojenta, cruel e falsa".

O comentário foi recebido com apupos e assobios por parte da assistência.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Os ditos assobios vieram dos seus ex colegas do espetáculo via comunicação social.Qts deles serão capazes de chegar á casa branca,ou seja PR EUA?

Anónimo Há 3 semanas

O dito quarto poder depende das fugas de informação e vive em conspiraçao pra sua alimentação.Trump tira-lhes o tapete e enfrenta-os a nível nacional e internacional,assim o permitem as novas redes de comunicação social.Twiter,face-book,wattsh etc.Soro o anticristo e democratas n esperavam esta açao

Sceptic Há 3 semanas

Q D. Trump tem razao; hoje, a grande maioria do chamados jornalistas, sao uns jornaleiros armados em juizes politicos canhotos que tem destruido muito da credibilidade do bom jornalismo, A CNN esta` no TOPO!!!

pub