União Europeia Tsipras diz que nunca quis sair da UE. Ia para onde, "para outra galáxia?"

Tsipras diz que nunca quis sair da UE. Ia para onde, "para outra galáxia?"

Em entrevista exclusiva ao The Guardian, o primeiro-ministro grego admite cometido "erros, grandes erros" mas assegura que nunca foi sua intenção retirar a Grécia da Zona Euro e da União Europeia. "Deixar a Europa e ir para onde, para outra galáxia", pergunta Alexis Tsipras.
Tsipras diz que nunca quis sair da UE. Ia para onde, "para outra galáxia?"
Reuters
Negócios 24 de julho de 2017 às 15:14

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, concedeu uma entrevista ao The Guardian em que assegura que nunca esteve em cima da mesa a hipótese de a Grécia deixar o euro e abandonar a União Europeia. "Deixar a Europa e ir para onde, para outra galáxia?", questiona retoricamente o líder do Syriza.

 

Na entrevista ao jornal britânico, Alexis Tsipras aproveita para salientar "que o pior ficou claramente para trás", aludindo ao controlo do défice orçamental conseguido pelo seu executivo, isto numa altura em que o país prepara o regresso aos mercados para uma emissão de títulos de dívida a cinco anos.

 

Apesar de "ninguém acreditar que poderia acontecer", diz Tsipras referindo-se à recuperação da economia helénica, "vamos retirar o país da crise". Com término em Agosto do próximo ano, o final do terceiro resgate à economia grega no espaço de cinco anos será o momento para aferir da robustez da recuperação económica do país.

 

Será essa a altura para "julgar" o governo de coligação com o partido da direita Gregos Independentes, diz Tsipras preferindo não se preocupar com a quebra das sondagens verificada pelo Syriza, fruto da prossecução de medidas impopulares e que contrariam as promessas de fim da austeridade feitas pelo actual primeiro-ministro.

 

Ao longo da entrevista, Tsipras acaba por reconhecer ter cometido "erros, grandes erros". Esses erros tiveram tradução concreta na "escolha de pessoas para cargos-chave", no que pareceu uma alfinetada para o primeiro ministro por si designado para as Finanças, o polémico Yanis Varoufakis. Mesmo assim, Tsipras reitera que a escolha de Varoufakis obedeceu à estratégia inicial de confrontação com as instituições europeias, porém, o governante grego deixa fortes críticas ao plano B do então ministro das Finanças para a Grécia após a saída do euro:

 

"Talvez chegue o momento em que algumas verdades serão ditas. Quando chegarmos ao ponto de analisar o que [Varoufakis] apresentou como plano B, um plano tão vago que nem valia a pena discutir. Era simplesmente fraco e ineficaz."

 

Os erros explicam-se em parte, pelo facto de ter chegado à chefia do Executivo helénico "sem qualquer experiência" governativa nem "noção da dimensão das dificuldades no dia-a-dia". Agora, diz Tsipras, "tenho uma diferente noção da que tinha previamente". 




pub