Conjuntura Turismo leva excedente externo acima dos 2 mil milhões

Turismo leva excedente externo acima dos 2 mil milhões

O excedente gerado pelo turismo nos primeiros dez meses deste ano já está próximo dos 10 mil milhões de euros.
Turismo leva excedente externo acima dos 2 mil milhões
O ritmo de crescimento das exportações é inferior ao aumento das importações
Bruno Simão
Nuno Carregueiro 20 de dezembro de 2017 às 13:22

As contas externas portuguesas prosseguiram em Outubro a tendência positiva alcançada nos últimos meses, mas ainda não a um ritmo suficiente para igualar o desempenho do ano passado.

 

Depois de um arranque de ano com défices, o saldo da balança de pagamentos (balança corrente e balança de capital) passou em Julho a apresentar valores acumulados positivos (280 milhões de euros). O saldo passou para mais de mil milhões de euros em Agosto e 1.865 milhões de euros em Setembro.

 

De acordo com os valores hoje revelados pelo Banco de Portugal, até Outubro o saldo está já em 2.346 milhões de euros. Apesar da evolução positiva recente, o saldo acumulado nos primeiros 10 meses do ano está ainda 841 milhões de euros abaixo do registado no mesmo período do ano passado.

 

O Banco de Portugal explica que a determinar este desempenho inferior ao do ano passado está o comportamento da balança de bens (défice agravou-se em 2,6 mil milhões de euros) e de rendimento primário.

 

Para o agravamento do défice da balança de bens contribuiu o crescimento mais rápido das importações de mercadorias (+14,4%), face às exportações (+10,5%). Já na balança de serviços o excedente melhorou 1.662 milhões de euros, uma vez que as exportações cresceram de forma mais célere (13,3%) do que as importações (12,2%).

 

O comportamento do turismo continua a ser determinante para a melhoria das contas externas portuguesas. O Banco de Portugal revela que nesta rubrica "o excedente aumentou 1.742 milhões de euros, fixando-se em 9506 milhões de euros" e tendo em conta apenas o mês de Outubro, "o saldo desta rubrica foi de 1192 milhões de euros".

 

O banco central acrescenta que nos primeiros dez meses do ano o saldo da balança financeira registou um acréscimo dos activos líquidos de Portugal sobre o exterior no valor de 2.990 milhões de euros, devido sobretudo ao investimento em títulos de dívida por parte do sector financeiro e na redução do passivo das administrações públicas.

Balança de pagamentos

A balança de pagamentos regista as transacções que ocorrem num determinado período de tempo entre residentes e não residentes numa determinada economia. Essas transacções são de natureza muito diversa encontrando-se classificadas em três categorias principais:

- balança corrente, que regista a exportação e importação de bens e serviços e os pagamentos e recebimentos associados a rendimento primário (ex: juros e dividendos) e a rendimento secundário (ex: transferências correntes);

- balança de capital, que regista as transferências de capital (ex: perdão de dívida e fundos comunitários) e as transacções sobre activos não financeiros não produzidos (ex. licenças de CO2 e passes de jogadores);

- balança financeira, que engloba as transacções relacionadas com o investimento, nomeadamente investimento directo, investimento de carteira, derivados financeiros, outro investimento e activos de reserva.

Fonte: Banco de Portugal




pub