Política Turquia anuncia suspensão das relações ao mais alto nível com a Holanda

Turquia anuncia suspensão das relações ao mais alto nível com a Holanda

A Turquia decidiu esta segunda-feira suspender as relações, ao mais alto nível, com a Holanda, anunciou em Ancara o vice-primeiro-ministro turco, Numan Kurtulmus.
Turquia anuncia suspensão das relações ao mais alto nível com a Holanda
Reuters
Negócios com Lusa 13 de março de 2017 às 21:27

"Foi decidido que, até que as nossas exigências sejam respeitadas, o embaixador da Holanda não será autorizado a regressar", disse Kurtulmus à imprensa, no final de uma reunião do Governo turco.

 

Em causa está a exigência turca da realização de comícios com a comunidade turca residente na Holanda para promover o voto na reforma constitucional que confere acrescidos poderes executivos ao Presidente Recep Erdogan.

 

O embaixador holandês em Ancara, Kees Cornelis van Rij, encontra-se actualmente a gozar férias fora da Turquia e a representação dos interesses da Holanda é desempenhada pelo encarregado de negócios.

 

Este clima de tensão vem desde sábado, 11 de Março, quando a Holanda impediu que o ministro dos Negócios Estrangeiros turco se deslocasse a Roterdão para participar numa manifestação de apoio a Erdogan que promove um referendo para uma revisão constitucional que transformará a Turquia num regime presidencialista.

 

E a Holanda não impediu apenas a chegada de Mevlut Çavusoglu. Bloqueou, mais tarde, a caravana que levaria a ministra dos Assuntos Familiares turca Fatma Betül Sayan Kaya ao consulado da Turquia em Roterdão. Nesse mesmo dia, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, explicava que os ministros turcos não estavam impedidos de entrar no país, mas não podiam aí participar em actividades políticas.

 

Todos estes acontecimentos  motivaram a ira do presidente turco que vislumbrou na Holanda vestígios de nazismo. Erdogan viu as acções como uma "reminiscência" do nazismo e ameaçou ripostar.

 

Desde estes acontecimentos, o conflito diplomático escalou. O ministro dos Negócios Estrangeiros acabou por ir para França e a ministra dos Assuntos Familiares foi escoltada até à fronteira com a Alemanha, tendo já chegado à Turquia, onde lamentou, em Istambul, a atitude das autoridades holandesas e condenou o "tratamento rude e duro" com que foram tratados.


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 14.03.2017

Enfim vindo de quem vem, já nem tiques de ditador tem é-lo mesmo com todas as letras. Bem fez a Holanda onde é q isto já se viu, querer fazer campanha noutro país. Se o queria fazer q o organiza-se na embaixada ai é territorio turco pode fazer o q quer.

bucks 14.03.2017

Já vão fazer MER...

pub
pub
pub
pub