União Europeia Tusk promete trabalhar por uma UE unida e pede a Varsóvia para não queimar pontes

Tusk promete trabalhar por uma UE unida e pede a Varsóvia para não queimar pontes

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, garantiu esta quinta-feira que continuará a trabalhar por uma Europa unida e que defenderá a Polónia, que tentou boicotar a sua reeleição, de qualquer isolamento político e pediu que não queimem pontes.
Tusk promete trabalhar por uma UE unida e pede a Varsóvia para não queimar pontes
Reuters
Lusa 09 de março de 2017 às 20:09

"Vou continuar a trabalhar por uma Europa melhor e mais unida", disse Tusk, numa conferência de imprensa intercalar da cimeira da UE.

 

Questionado sobre como vão ser as suas relações com Varsóvia, depois da primeira-ministra do seu país, Beata Szydlo, ter tentado boicotar a sua recondução como presidente do Conselho europeu, Tusk garantiu que fará tudo "para proteger o governo polaco contra o isolamento político em Bruxelas".

 

Numa nota de humor, a uma pergunta sobre como irá falar com o executivo de Szydlo, Tusk respondeu: "Comunicarei com o Governo polaco em polaco".

 

Mas Tusk deixou também um aviso a Varsóvia: "Cuidado com as pontes que se queimam, pois não podem ser reconstruídas".

 

Também o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, se manifestou satisfeito com a reeleição de Tusk, para um mandato de dois anos e meio.

 

Depois da eleição de Tusk e do debate sobre crescimento, emprego e comércio, a cimeira prossegue a 28, com um jantar de trabalho dominado pela situação nos Balcãs ocidentais.

 

Na sexta-feira, os líderes da UE reúnem-se informalmente a 27, sem a presença da primeira-ministra britânica, Theresa May.

 

O polaco Tusk foi hoje reconduzido no cargo por um segundo mandato de dois anos e meio, apesar das objeções do seu país.

 

Tusk, o segundo presidente do Conselho Europeu desde a criação do cargo, em 2009, assumiu pela primeira vez funções em 2014, substituindo do belga Herman Van Rompuy, e cumprirá o seu segundo mandato até 2019.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub