Economia Um ferido em explosão de carta na sede do FMI em Paris

Um ferido em explosão de carta na sede do FMI em Paris

A francesa, que é responsável máxima pelo Fundo, reafirmou a intenção do FMI de continuar o trabalho em linha com o mandato atribuído à organização.
Um ferido em explosão de carta na sede do FMI em Paris
Bloomberg
Lusa 16 de março de 2017 às 11:51

A directora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, condenou esta quinta-feira a explosão verificada nas instalações do Fundo em Paris que fez um ferido, apelidando o acto de "cobarde" e garantindo que a instituição vai continuar a trabalhar no cumprimento dos seus objectivos. 

"Fui informada sobre a explosão na sede de Paris, que causou ferimentos num dos nossos colaboradores. Tenho estado em contacto com o escritório e os meus pensamentos estão com os nossos colegas. Condeno este acto cobarde de violência e reafirmo a intenção do FMI de continuar o nosso trabalho em linha com o nosso mandato. Estamos a trabalhar de perto com as autoridades francesas para investigar este incidente e garantir a segurança da nossa equipa," afirmou Lagarde em comunicado enviado pelo Fundo. 


A explosão feriu ligeiramente uma assistente de direcção, não se tendo registado outros danos. Não é ainda claro quem terá enviado a carta, mas, segundo o chefe da polícia, Michel Cadot, citado pela Reuters, a explosão foi causada por um dispositivo artesanal e depois de várias ameaças recebidas por telefone nos últimos dias.

O presidente francês, François Hollande, já garantiu que as autoridades francesas farão tudo o que for necessário para encontrar os responsáveis pelo incidente.

 

Muitas pessoas foram já retiradas das instalações, por precaução, segundo disse uma delas à AFP.

 

A França está há dois anos em estado de emergência, devido aos ataques perpetrados por extremistas islâmicos no país.

(Notícia actualizada às 12:32 com mais informação)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar