Justiça Um médico e três delegados de informação médica detidos pela PJ por corrupção e burla

Um médico e três delegados de informação médica detidos pela PJ por corrupção e burla

Os detidos são suspeitos de passar prescrições de medicamentos em desconformidade com a legislação aplicável, mediante a aceitação de vantagens patrimoniais
Um médico e três delegados de informação médica detidos pela PJ por corrupção e burla
Bruno Simão/Negócios
Lusa 07 de setembro de 2017 às 13:06
A PJ deteve um médico e três delegados de informação médica por corrupção, falsificação de documento e burla qualificada ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), tendo a operação decorrido nas zonas da Grande Lisboa e Algarve, informou esta quinta-feira, 7 de Setembro, a polícia.

Os detidos, três homens e uma mulher, de 57, 50, 42 e 38 anos, serão submetidos a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação.

Segundo a PJ, os detidos passavam prescrições de medicamentos em desconformidade com a legislação aplicável, mediante a aceitação de vantagens patrimoniais. Visavam com isso a apropriação indevida da comparticipação dos medicamentos, com prejuízo do SNS, em vários milhares de euros.

A "Operação receita sem papel" envolveu diversas buscas e um dos detidos tinha na sua posse arma proibida.

A investigação esteve a cargo da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub