Orçamento do Estado Unidade da Fitch diz que Orçamento mantém Portugal num ciclo político-económico virtuoso

Unidade da Fitch diz que Orçamento mantém Portugal num ciclo político-económico virtuoso

A dinâmica política do Governo, a estabilidade da solução governativa, e um Orçamento do Estado que assegura uma trajectória orçamental saudável durante pelo menos mais dois anos, leva a BMI Research a considerar que Portugal encontra-se num "ciclo político e económico virtuoso".
Unidade da Fitch diz que Orçamento mantém Portugal num ciclo político-económico virtuoso
Elisabete Miranda 28 de novembro de 2017 às 10:19

Visto de fora, Portugal está a atravessar um bom momento. O país está politicamente estável, o Governo mantém a sua dinâmica política, e a economia entrou numa trajectória orçamental saudável que o Orçamento do Estado para 2018 vem sedimentar. As conclusões são da BMI Research, a unidade do grupo Fitch, que volta a baixar o risco político de Portugal.

 

Numa curta análise divulgada esta terça-feira, 28 de Novembro, a BMI Research considera que, com o Orçamento do Estado para 2018, Portugal vai manter-se numa trajectória orçamental "saudável" durante pelo menos os próximos dois anos. Apesar de considerarem que as previsões do Governo para a trajectória da dívida pública e do défice são "demasiado ambiciosas" quando comparadas com as projecções próprias, os analistas antecipam progressos contínuos.

 

Na frente política, apesar da precariedade da solução governativa, a BMI Research considera que ela se manterá estável durante vários trimestres. O facto de o PS ter ganho as eleições autárquicas com uma grande distância do PSD, num contexto de forte pressão devido à tragédia dos incêndios, leva os analistas a considarem que o PS e o Governo mantêm a sua dinâmica política e a baixarem novamente o risco político do país.

A conjugação de um cenário de estabilidade política e de boas perspectivas económicas leva a BMI Research a descrever como "improvável" qualquer escalada das taxas de juro das obrigações do tesouro a 10 anos, que já se encontram em níveis historicamente baixos. Os economistas antecipam até a possibilidade de o "spread" (o diferencial de risco) face à dívida publica alemã poder baixar mais um pouco. 

O Orçamento do Estado para 2018 ficou fechado esta segunda-feira, 28 de Novembro, com os votos favoráveis do PCP e do Bloco de Esquerda. Apesar de manter o seu apoio ao Governo, o partido de Catarina Martins acabou a acusar António Costa de ter falhado na sua palavra, ao ter dado o dito por não dito na taxa das energias renováveis.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
pertinaz Há 2 semanas

ATÉ OS JUROS SUBIREM... DEPOIS PASSAM DE BESTIAIS A BESTAS...!!!

Luis Há 2 semanas

Graças ao Centeno, mas até quando aguenta a corja partidária?

Anónimo Há 2 semanas

A azia da direita é tanta que ninguém veio aqui comentar. Parecem donos de agências Funerárias à procura desesperada de mortos para cantarem vitória. Viva a Geringonça.

ricardo Há 2 semanas

Amigo criador, é só constatar o óbvio e deixar as realidades paralelas de parte. Ainda assim existe por cá um partido que continua em negação! Bom por alguma coisa vão agora eleger um novo líder, mas pelo que vejo vai ser um líder "condenado" à oposição.

ver mais comentários
pub