Economia Van Rompuy espera que voto nas eleições gregas legitime a austeridade e o euro

Van Rompuy espera que voto nas eleições gregas legitime a austeridade e o euro

O presidente do Conselho europeu, Herman Van Rompuy, exprimiu hoje em Nicósia a esperança de que os gregos votem em 17 de Junho por um governo que cumpra as medidas de austeridade e garanta a permanência na zona euro.
Lusa 28 de maio de 2012 às 20:01
O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, exprimiu hoje em Nicósia a esperança de que os gregos votem em 17 de Junho por um governo que cumpra as medidas de austeridade e garanta a permanência na zona euro.

"A Grécia tem de manter-se na zona euro mas em simultâneo deve respeitar os seus compromissos. Esperamos que após as eleições a Grécia eleja essa opção" disse Van Rompuy durante um discurso no Parlamento cipriota, e numa referência às medidas de austeridade exigidas pela União Europeia (UE) e FMI em troca de um avultado empréstimo internacional.

O presidente do Conselho Europeu efectua uma vista a Chipre para abordar com o Presidente Dimitris Christofias os preparativos para a presidência rotativa semestral da UE, que o país assume em 1 de Julho.

Van Rompuy afirmou que "desde 2010 a Europa, juntamente com o Fundo Monetário Internacional [FMI], contribuiu com um apoio de 150 mil milhões de euros [para a economia helénica] ".

O dirigente da União considerou ainda que o apoio europeu à Grécia "é algo mais que um plano Marshall" e lamentou os "milhões de desempregados na Grécia, em Espanha e em Chipre, que também foi afectada".

O chefe do Conselho Europeu reconheceu ainda que os europeus vivem "tempos difíceis" porque desde 2008 a UE enfrenta "duas grandes crises, a crise dos bancos e das dívidas" e "ambas sem precedentes no que se refere à dimensão e duração".

Van Rompuy também abordou com o Presidente cipriota a necessidade de impulsionar o crescimento e o trabalho na Europa.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
anonimo 28.05.2012

se isto nao é uma forma de pressao sobre um acto eleitoral,vou ali e ja venho...

pub