Economia Vegans britânicos contra nova nota de cinco libras

Vegans britânicos contra nova nota de cinco libras

A nova nota de cinco libras esterlinas está a causar polémica no Reino Unido, por conterem sebo. Já há uma petição para a retirada da nota, que conta actualmente com 109.681 assinaturas.
Vegans britânicos contra nova nota de cinco libras
Bloomberg
Carla Pedro 30 de Novembro de 2016 às 22:18

São já perto de 110.000 os subscritores da petição que exige a retirada da nova nota de cinco libras no Reino Unido, que entrou em circulação em Setembro passado. Os seus opositores, liderados pelos vegans, reclamam pelo facto de a nota conter sebo, a gordura animal que se usa também no fabrico de sabão e velas, conforme sublinha o El País.

 

Esta questão causou celeuma sobretudo no Twitter – onde tudo começou, depois de uma utilizadora, Steffi Rox, ter perguntado ao Banco de Inglaterra (BoE) se era certo que as novas notas continham gordura animal – onde grupos de vegans, vegetarianos e alguns grupos religiosos se insurgiram e exigiram à autoridade monetária para pôr fim ao fabrico da nota com esta composição.

 

"As novas notas de cinco libras contêm gordura animal, em forma de sebo. Isto é inaceitável para milhões de vegans, vegetarianos, hindús, sikhs, jainistas e outros no Reino Unido. Exigimos que se deixe de usar produtos de origem animal na produção de divisas que temos de usar", sublinha a petição entretanto criada na Charge.org.

 

O Banco de Inglaterra vê-se assim a braços com uma controvérsia e está a tentar encontrar uma solução. A Innovia, responsável pela impressão desta nova nota, "está a trabalhar arduamente, junto da sua cadeia de fornecimento, e manterá o banco central informado sobre os progressos com vista a potenciais soluções", sublinhou o BoE num comunicado citado pela Bloomberg.

 

"Este problema só agora surgiu e o banco central não estava a par do mesmo quando o contrato foi assinado", acrescentou a autoridade monetária liderada por Mark Carney.

 

O Banco de Inglaterra disse ter consciência das preocupações demonstradas pelos cidadãos e salientou que respeita esses receios, estando a tratá-los "com a máxima seriedade".

 

Estas novas notas, recorda o El País, são impressas num polímero, uma delgada película de plástico flexível mais duradoura e segura do que as actuais notas de papel.




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
nb Há 4 dias

São tão burros! Uma minoria a tentar impor a sua vontade ao todo. E ainda são notícia de jornal? Está tudo doido!

pertinaz Há 4 dias

PREOCUPANTE

Anónimo Há 4 dias

Vegans e religião em mistura.Estes grupos sobrecarregam o INSS pelas carências e doenças.Poluem com gás metano, sulfidrico,enxofre,mercaptanos em exageradas quantidades contribuindo para o aumento da camada de ozono.Deveriam pagar taxa de poluição.

Francisco António Há 4 dias

Num País com + de 50M aparecem 100 mil almas a fazer banzé. Enfim, gente sem mais preocupações ! Vá lá que W. Churchill não vem com o icónico charuto cubano...

ver mais comentários
pub