Emprego Vendas a retalho aceleram em Novembro

Vendas a retalho aceleram em Novembro

O volume de negócios no sector do retalho continua a subir, impulsionado especialmente pelos produtos alimentares.
Miguel Baltazar Miguel Baltazar Miguel Baltazar
Negócios 30 de dezembro de 2016 às 12:42

As vendas no sector do comércio a retalho aceleraram no mês de Novembro, beneficiando de um impulso especial no consumo de produtos alimentares face ao ano passado.

Segundo números divulgados esta sexta-feira, 30 de Dezembro, pelo Instituto Nacional de Estatística, o índice de vendas no comércio a retalho cresceu 4,3% em Novembro de 2016 face ao mesmo mês de 2015.

Este salto face ao ano passado já se vinha verificando nos meses anteriores deste ano, mas em Novembro foi maior do que em Outubro, com os 4,3% a compararem com os 3,9% de Outubro, assinala o INE.

Esta subida é transversal a todo o tipo de comércio a retalho, mas o instituto de estatística assinala o desempenho destacado dos produtos alimentares, com o índice a subir 4,6% face a Novembro de 2015 (e a comparar com os 3,8% de Outubro). Nos produtos alimentares houve também um aumento de 4% em termos homólogos, a mesma evolução que já havia sido registada em Outubro.

 

Já quando comparado em cadeia, isto é, face a Outubro deste ano, o índice de volume de negócios no comércio a retalho registou globalmente uma diminuição de 1,3%, diz o INE.

 

Ao nível do emprego, o índice registou uma variação homóloga de 2,8% em Novembro, dando nota de uma ligeira desaceleração (0,2 pontos percentuais) neste crescimento face a Outubro.

Já o índice das remunerações avançou 6,5% e o das horas trabalhadas 1,4% em termos homólogos, assinala o INE. 


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 30.12.2016

COFINA: FORTE CONTINGÊNCIA QUE A PREJUDICAVA, TERMINA AMANHA, SEM NADA TER ACONTECIDO
Investidores da Cofina terão motivo para fortes valorizações em 2017, depois de contingência de cerca de 3 anos chegar ao fim amanhã, sem nada de prejudicial ter ocorrido. COMPRA MUITO FORTE.

pub
pub
pub
pub