Conjuntura Vendas a retalho crescem ao ritmo mais baixo desde Fevereiro

Vendas a retalho crescem ao ritmo mais baixo desde Fevereiro

O aumento das vendas no comércio a retalho em Portugal abrandou para 3,2% em Agosto, anunciou o INE.
Vendas a retalho crescem ao ritmo mais baixo desde Fevereiro
Paulo Duarte
Nuno Carregueiro 29 de setembro de 2017 às 11:24

O índice que mede a evolução das vendas a retalho em Portugal registou um crescimento homólogo de 3,2% em Agosto, o que representa um abrandamento face ao aumento verificado em Julho (+4%).

 

Esta taxa de crescimento de 3,2% é a mais baixa desde o aumento de 1,7% verificado em Fevereiro. Os dados são ajustados de efeitos de calendário e da sazonalidade.

 

De acordo com o INE, este abrandamento em Agosto é justificado pelo menor crescimento nas vendas de produtos não alimentares (4,8% em Agosto contra 6,6% em Julho). Quanto às vendas de produtos alimentares, o crescimento acelerou para 1,2% (0,9% em Julho).

 

Na variação entre Julho e Agosto, as vendas a retalho recuaram 1,3%, o que representa uma descida mensal mais intensa do que a registada no mês anterior (-0,4%).

 

Quanto ao emprego no sector do comércio a retalho, aumento 3,7% em Agosto, o que representa uma aceleração face a Julho (2,9%).

 

O índice de remunerações registou um crescimento homólogo de 3,4% e o índice de horas trabalhadas aumentou 1% termos homólogos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
General Ciresp Há 3 semanas

Se calhar e assim:depois da matanca vem a bonanca.Tanta coisa vejo com os meus olho que nao combinam em nada com a peixarada de mercado.E razao para dizer:entre mortos e alejados,ha-de salvar-se alguem.

pub