Cultura Vendas de discos atingem máximos de 25 anos

Vendas de discos atingem máximos de 25 anos

As vendas de álbuns em formato vinil registaram um aumento de 53% em 2015, e atingiram em 2016 o valor mais alto desde 1991, data em que "Stars" de Simple Red se tornou o disco mais vendido.
Vendas de discos atingem máximos de 25 anos
Martin Divisek/Bloomberg
Negócios 03 de janeiro de 2017 às 11:49

Num ano marcado pela morte de nomes célebres no mundo da música, as vendas da indústria aumentaram, com os vinis a ultrapassarem os downloads, com mais de 3,2 milhões de discos vendidos.

 

O desaparecimento de nomes como Prince, David Bowie ou George Michael, é, de acordo com o The Guardian, o factor que levou a esta dinâmica no mercado discográfico. Bowie, por exemplo, foi o artista que mais vendeu em vinil em 2016, com cinco dos seus álbuns no top 30. O seu último projecto discográfico, Blackstar, foi nomeado para os Mercury Prize e foi o vinil mais vendido.

 

Números revelados pela British Phonographic Industry (BPI) revelam que o formato vinil subiu pelo nono ano consecutivo em 2016, nomeadamente com o evento Record Store Day e com a maior oferta dos destes discos em várias lojas e supermercados.

 

Vanessa Higgins, CEO da Regent Street, da Gold Bar Records e membro do conselho da BPI, sublinha que o vinil tem vindo a atrair não só os mais velhos como também as gerações mais novas. Embora o streaming tenha crescido 500% desde 2013, com 45 mil milhões de reproduções em 2016, as pessoas têm voltado a adquirir discos de vinil como forma de possuir de forma tangível a sua música.

 

A mesma fonte afirma que o streaming tem sido uma porta de acesso a descobertas musicais, que posteriormente podem trazer o desejo de comprar formatos físicos dos álbuns. A representante das editoras discográficas independentes junto da BPI afirma que 2017 será um ano em que artistas mais pequenos poderão beneficiar desta tendência.

 

Embora o vinil represente 5% do mercado discográfico, reporta o The Guardian, os discos estão a tornar-se uma importante fonte de rendimento das editoras discográficas e dos artistas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub