Comércio Vendas em segunda-mão na internet pagam imposto em Espanha

Vendas em segunda-mão na internet pagam imposto em Espanha

O Fisco espanhol esclareceu que, às vendas de bens usados em plataformas online, é aplicado o mesmo imposto de 4% que vigora nas vendas físicas destes bens. Com a diferença de que as transacções na internet ficam registadas e são mais fáceis de identificar.
Vendas em segunda-mão na internet pagam imposto em Espanha
Bloomberg
Negócios 16 de novembro de 2017 às 14:37
As transacções de bens usados através de plataformas na internet – como a eBay ou a Amazon – deverão passar a ser sujeitos a impostos em Espanha. A notícia é avançada pelo jornal Expansión, que cita um parecer vinculativo do fisco espanhol, emitido para esclarecer a dúvida de um contribuinte.

Segundo aquele documento, as vendas de produtos em segunda-mão, feitas por particulares e usando plataformas online passam a estar sujeitos a uma taxa de 4%, por aplicação do imposto sobre transmissões patrimoniais, na modalidade de transmissões patrimoniais onerosas.

O periódico explica que, com este parecer, o Fisco aplica um imposto semelhante ao que actualmente vigora nas vendas físicas de bens em segunda-mão entre dois particulares. Se neste caso é difícil monitorizar as transacções, já nas plataformas online, segundo o Expansión, as compras e vendas ficam registadas e podem ser consultadas pela agência tributária.

"O comércio online está sujeito às mesmas normas tributárias que os demais," reforçou ainda esta quinta-feira, 16 de Novembro, o ministro espanhol das Finanças, Cristóbal Montoro.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

por que é que esta corja que nos (des)governa mundialmente não nos aplica um imposto sobre o ar que respiramos, os peidos que damos ou a quantidade de cocó e xixi que fazemos!? já faltou mais!!
Vão-se FO*ER!!!!

Saber mais e Alertas
pub