Angola Venezuela e Angola assinam acordo para explorar minas de diamantes

Venezuela e Angola assinam acordo para explorar minas de diamantes

A Venezuela e a Angola assinaram na quinta-feira, em Caracas, dois memorandos de entendimento para desenvolver a extracção de diamantes em território venezuelano.
Venezuela e Angola assinam acordo para explorar minas de diamantes
Lusa 21 de julho de 2017 às 07:43

O primeiro acordo foi assinado pelo presidente do Banco Central da Venezuela, Ricardo Sanguino, e o representante da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), António Carlos Sumbula.

 

Este acordo contempla a cooperação para a formação de mineiros profissionais venezuelanos na produção de diamantes, a nível artesanal, semi-industrial e industrial, de acordo com informação oficial.

 

O documento abrange a optimização de processos de comercialização de diamantes em bruto, lapidação, organização, tramitação e dinamização de procedimentos com base no Sistema de Certificação do Processo Kimberley, que controla as exportações de diamantes e a comercialização legal no mercado internacional.

 

Este acordo inclui a abertura de um escritório do Processo Kimberley, supervisionado pelo Banco Central da Venezuela.

 

A Endiama e o ministro para o Desenvolvimento Mineiro Ecológico venezuelano, Jorge Arreaza, assinaram um memorando de entendimento para promover a criação de uma empresa mista, com capitais dos dois países, para a exploração de diamantes, ouro, coltan [columbite-tantalita, minérios usados no fabrico de microprocessadores, microcircuitos e baterias], e promover o desenvolvimento do Arco Mineiro da Venezuela, a sudeste de Caracas.

 

Desde 2015 que Luanda e Caracas estão a negociar o desenvolvimento da exploração mineira na Venezuela.

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 3 semanas

Passos dá os mapas aos angolanos e estes fazem parceria com os venezuelanos.

pub