Mundo Venezuela: Forças de segurança cercam Ministério Público

Venezuela: Forças de segurança cercam Ministério Público

As forças de segurança cercaram este sábado a entrada do Ministério Público da Venezuela, em Caracas, segundo a procuradora-geral, Luísa Ortega Díaz.
Venezuela: Forças de segurança cercam Ministério Público
Reuters
Lusa 05 de agosto de 2017 às 14:18

Esta movimentação surge antes de uma sessão da Assembleia Constituinte eleita no domingo, num escrutínio que foi boicotado pela oposição venezuelana e fortemente contestado a nível internacional.

 

Este órgão, que tomou posse na sexta-feira, terá a missão de redigir uma nova Constituição e os seus membros comprometeram-se a agir rapidamente contra os opositores do presidente Nicolás Maduro.

 

A oposição venezuelana considera que a nova Assembleia Constituinte é "ilegítima" e defende a legalidade da Assembleia Nacional (Parlamento), onde as forças opositoras estão em maioria.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Skizy 06.08.2017

So falta o voto de apoio dos retrogas tugas do PCP, para isto se tornar ainda mais insolito.

Judas a cagar no deserto 05.08.2017

Os kumunas no seu melhor.

Não contarão mais com o meu voto 05.08.2017

Caro Jerónimo de Sousa, como consegue você conciliar o apoio a um canalha ditador, que oprime e mata o próprio povo, com o passado de luta do PCP pela Liberdade ?
Como ?
Nunca conseguirá, porque a posição do PCP é uma incongruência total.
O Partido que lutou contra o fascismo está irreconhecível.

pub