Energia Venezuela: Perto de 50 suspeitos detidos por corrupção na petrolífera estatal PDVSA

Venezuela: Perto de 50 suspeitos detidos por corrupção na petrolífera estatal PDVSA

Perto de 50 gestores da estatal Petróleos da Venezuela (PDVSA) foram detidos pelas autoridades venezuelanas e acusados de corrupção na petrolífera, anunciou o Ministério Público daquele país.
Venezuela: Perto de 50 suspeitos detidos por corrupção na petrolífera estatal PDVSA
Reuters
Lusa 20 de novembro de 2017 às 23:48

"Perto de 50 gestores foram detidos por corrupção em desfavorecimento da indústria petrolífera", disse o procurador-geral, designado pela Assembleia Constituinte, Tarek William Saab.

 

O anúncio teve lugar na XXV Assembleia Anual de Ministérios Públicos Ibero-americanos, que decorre na Argentina, durante a qual precisou que seis dos detidos desempenhavam cargos de alto nível.

 

As detenções tiveram lugar depois de identificada uma rede de corrupção na PDVSA, no âmbito de uma investigação que procura sanear aquela indústria e "desmantelar as mafias que têm causado dano patrimonial à economia venezuelana".

 

Segundo Tarek William Saab, foi criada uma rede de procuradores centrados em combater o delito de corrupção transnacional.

 

Por outro lado, precisou que foram realizadas auditorias a contratos no valor de 35 mil milhões de dólares (30,16 mil milhões de euros), assinados entre 2010-2016 e relacionados com a Faixa Petrolífera do Orinoco (a sudeste do país).

 

As auditorias permitiram detectar aumentos ilegais de 230% às empresas mistas (capitais públicos e privados) Petrozamora e Petropiar, assim como à filial Bariven, o que causou um grande dano patrimonial ao Estado.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub