Economia Viajantes frequentes vão ter direito a passaporte próprio

Viajantes frequentes vão ter direito a passaporte próprio

O Conselho de Ministros aprovou a criação de um novo tipo de passaporte para os viajantes frequentes, com mais páginas e menor necessidade de renovação. Passaportes passam a poder ser pedidos on-line em caso de perda no estrangeiro.
Viajantes frequentes vão ter direito a passaporte próprio
Bruno Simão
Filomena Lança 15 de fevereiro de 2018 às 16:20

Quem viaje muito pelo mundo e, por isso, rapidamente esgote as páginas do seu passaporte vai passar a poder dispor de um documento de viagem especial para viajantes frequentes. A medida, que fazia parte do Simplex 2017 e estava prevista para o terceiro trimestre do ano passado, foi aprovada esta quinta-feira, 15 de Fevereiro, em Conselho de Ministros.

 

Basicamente, o novo passaporte vai ter 48 páginas, em vez das normais 32. Dessa forma, explica o Governo, permitirá "reduzir as necessidades de renovação do documento, o que garante aos titulares uma poupança significativa nos tempos de espera, nas deslocações e nos custos que lhe estão associados".

 

O Governo aproveita ainda as alterações ao regime de emissão de passaportes para avançar com algumas medidas ao nível da segurança. Assim, daqui para a frente todos os documentos de viagem portugueses passam a seguir o modelo de passaporte electrónico português, nomeadamente o especial e para estrangeiros. Dessa forma, aplicar-se-lhe-ão as mesmas normas de segurança.

 

Quem perca o passaporte no estrangeiro, porque o perdeu, estragou ou lhe foi furtado, passa também a poder pedir a emissão de um novo documento através da internet. Finalmente, adianta o comunicado do Conselho de Ministros, em matéria de inclusão, o novo passaporte incluirá uma vinheta braille para os cidadãos invisuais.




pub