Américas Vice-presidente de Trump teve de desempatar nomeação da secretária da Educação

Vice-presidente de Trump teve de desempatar nomeação da secretária da Educação

Com o Senado norte-americano dividido em relação à validação da multimilionária Betsy DeVos para a pasta da Educação, Mike Pence foi chamado a pôr fim ao impasse. Um gesto aparentemente sem precedentes.
Vice-presidente de Trump teve de desempatar nomeação da secretária da Educação
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 07 de fevereiro de 2017 às 18:27
A nomeada por Donald Trump para assumir na administração norte-americana a pasta da Secretaria da Educação precisou esta terça-feira, 7 de Fevereiro, da intervenção do vice-presidente Mike Pence para poder ser validada no cargo. 

Betsy DeVos, que enfrentava a confirmação no plenário do Senado, obteve os votos favoráveis de 50 republicanos e o voto contra de 46 democratas, dois independentes e dois eleitos do partido Republicano. O que deixou a confirmação empatada a 50-50.

Para resolver o empate foi chamado o vice-presidente, Mike Pence, que decidiu com voto de qualidade em favor da nomeada. Uma intervenção que, de acordo com funcionários do Senado consultados pela Reuters, não tem precedente histórico na votação em nomeações. 

De acordo com a Constituição dos EUA, o vice-presidente do país é simultaneamente presidente do Senado, podendo exercer voto de qualidade quando há empates no voto em nomeações ou de legislação.

Apesar de ter sido duramente questionada pelos democratas durante a sua audiência e de arriscar não conseguir obter os votos necessários, DeVos não procedeu como é hábito nestas situações de fragilização política e não colocou o lugar à disposição do presidente.

Horas antes, usando o seu veículo preferencial de comunicação - o Twitter - o presidente Donald Trump tinha expressado o seu apoio à nomeada:

"Os democratas do senado protestam para manter o status quo falhado. Betsy DeVos é uma reformista e ela vai ser uma grande secretária da Educação para as nossas crianças!"

As críticas dos democratas incidiram sobre o seu apoio ao sistema de cheque-escola e acusações de falta de experiência por nunca ter trabalhado no sector público de educação.

Depois da nomeação, DeVos - uma multimilionária do Michigan, segundo a ABC - agradeceu a persistência do Senado e disse-se "honrada" em assumir as novas funções e pronta a "melhorar as opções e oportunidades" dos estudantes norte-americanos:
Também Pence fez referência à validação de DeVos, afirmando que "o voto de hoje foi um voto para que todas as crianças tenham a oportunidade de uma educação de nível mundial":




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Manuel Tavares 07.02.2017

Uma ignorante na pasta da educação do país mais poderoso do mundo... bonito.

pub
pub
pub
pub