Política Visita de Costa à Índia prolonga-se por seis dias

Visita de Costa à Índia prolonga-se por seis dias

O governo indiano divulgou esta segunda-feira um primeiro plano da visita de Estado do primeiro-ministro à Índia. António Costa começa a deslocação em Nova Deli e termina em Goa, onde tem raízes familiares.
Visita de Costa à Índia prolonga-se por seis dias
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 20 de dezembro de 2016 às 17:27

A visita de Estado de António Costa à Índia, prevista para Janeiro, já tem dias marcados. De acordo com a página do Governo indiano na internet, o primeiro-ministro português desloca-se àquele país entre os dias 6 e 12, arrancando o programa com contactos com o seu homólogo, Narendra Modi.

A conversa com Modi está marcada para dia 7, em Nova Deli, sendo de esperar contactos entre Costa e o presidente Pranab Mukherjee e o vice-presidente Mohammad Hamid Ansari.

Na comitiva de Costa seguirão "vários ministros" e é esperada a assinatura de vários "memorandos de entendimento" para desenvolver as relações indo-portuguesas.

A 8 e 9 de Janeiro, o primeiro-ministro estará em Bengaluru, cidade do sul do país, onde participará no evento anual de contacto com a diáspora - denominado Pravasi Bharatiya Diwas - e noutros encontros empresariais.

No dia seguinte, estará presente na cimeira Vibrant Gujarat Global Summit, em Gandhinagar, no Oeste do país, partindo depois para a fase final da viagem, que termina em Goa, a 11 e 12 de Janeiro.

Ali, vai encontrar-se com o governador e o ministro-chefe e "passar algum tempo no seu lugar ancestral," refere o comunicado, aludindo às raízes indianas do primeiro-ministro.

António Costa é filho da jornalista Maria Antónia Palla e do escritor e técnico de publicidade Orlando Costa, goês e militante do PCP. Aos dez anos, com o pseudónimo "Babuch" (menino, em dialeto concani, de Goa), já escrevia críticas de televisão para o Século Ilustrado.


A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Mr.Tuga 21.12.2016

Fica por lá ó Bosta!

Criador de Touros 21.12.2016

Por mim o esquerdista indiano pode ficar na Índia, um país lindo como ele, e os indianos compreendem-no...Exporta-se o camarada e a nossa balança de transações agradece: Portugal precisa de exportar os camaradas que obedecem às internacionais de esquerda, mas que se estão a marimbar para Portugal. A maioria dos portugueses ainda não percebeu que o essencial é ser patriota. Os esquerdistas estão a marimbar-se para isso.

Anónimo 21.12.2016

Caro Sr. Paulo Zacarias Gomes, pedia o favor de rectificar a sua publicação. O concani não é um dialecto, é a língua oficial do Estado de Goa e uma das 22 línguas estatais oficiais reconhecidas pelo governo federal da Índia.

Telesfro 21.12.2016

Bemvindo Sr. Presidente

ver mais comentários
pub