Mundo Visita histórica de um primeiro-ministro japonês a Pearl Harbor

Visita histórica de um primeiro-ministro japonês a Pearl Harbor

Shinze Abe e Barack Obama encontraram-se em Pearl Harbor, no local onde decorreu o ataque japonês que ditou a entrada dos Estados Unidos na II Guerra Mundial.
Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters Reuters
Negócios com Lusa 28 de Dezembro de 2016 às 07:21
O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, manifestou "sinceras e eternas condolências" às famílias dos milhares de norte-americanos mortos no bombardeamento japonês de Pearl Harbor, durante uma visita qualificada de histórica pelo presidente dos EUA, Barack Obama.

"Na qualidade de primeiro-ministro japonês, ofereço as minhas sinceras e eternas condolências pelas almas daqueles que morreram aqui, assim como aos espíritos dos valentes homens e mulheres cujas vidas foram levadas por uma guerra que começou neste local", disse Abe.

"Não podemos nunca repetir os horrores da guerra", disse Abe, referindo-se ao bombardeamento japonês que matou mais de 2.400 norte-americanos há 75 anos.

Falando ao lado de Obama, Abe agradeceu, por outro lado, a "tolerância concedida ao Japão", ao elogiar o poder da reconciliação.

Em resposta, o presidente norte-americano assegurou que a aliança entre os EUA e o Japão "nunca foi tão forte" como agora.

"Nos bons e nos maus momentos, estamos aqui para o outro", disse, insistindo na importância de "não demonizar aquele que é diferente". 

Mas Abe, como salientou a imprensa estrangeira, não pediu desculpas pelo ataque, tal como Obama não o fez em relação às bombas atómicas lançadas no Japão, durante a II Guerra Mundial. Obama foi o primeiro presidente norte-americano a visitar Hiroshima, depois da bomba atómica de 1945. 

Abe e Obama fizeram uma visita histórica a Pearl Harbour, onde o ataque lançado por caças-bombardeiros japoneses marcou a entrada dos Estados Unidos na guerra. O ataque aconteceu a 7 de Dezembro de 1941.

É a primeira vez que um primeiro-ministro japonês visita o memorial USS Arizona, construído no local no início dos anos 1960.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub