Economia Vítor Bento: Governo tem de ser "mais ousado" na dívida. Pagamentos ao FMI “são fogachos”

Vítor Bento: Governo tem de ser "mais ousado" na dívida. Pagamentos ao FMI “são fogachos”

O Governo tem de ser mais ousado a reduzir a dívida pública e isso implica reduzir o défice mais depressa para zero. Só assim conseguirá colocar o peso da dívida em 100% ou 90% do PIB em dez anos.
A carregar o vídeo ...
Rui Peres Jorge Rosário Lira 07 de janeiro de 2018 às 12:00
Vítor Bento defende que o Governo tem de ser mais ousado a reduzir a dívida pública, diz em entrevista concedida ao Negócios e à Antena 1, e que será transmitida na rádio pública às 12:00 de domingo, e publicada no Negócios na segunda-feira, 8 de Janeiro.

"Temos de ser mais ousados e estabelecer objectivos perfeitamente claros. Se não houver mais nenhum, no mínimo pôr a dívida em 90% ou 100% do PIB no espaço de 10 anos. Isso estabelece um quadro claro sobre o que tem de ser a gestão orçamental até lá", defende o economista e presidente não executivo da SIBS.

Para Vítor Bento é preciso uma estratégia que vá além dos pagamentos ao FMI com dinheiro "que se esteve a acumular caixa durante um determinado tempo". "Isso é um fogacho. Não estou a desvalorizar, mas em si não tem consequência", defende.




pub