Bolsa Wall Street imita Europa, petróleo e dólar e abre em alta em sessão mais curta

Wall Street imita Europa, petróleo e dólar e abre em alta em sessão mais curta

As bolsas americanas vão encerrar às 18:00 de Lisboa, para as celebrações do 4 de Julho. Num dia com petróleo e dólar em alta, as praças dos EUA também arrancaram no verde.
Wall Street imita Europa, petróleo e dólar e abre em alta em sessão mais curta
Reuters
Diogo Cavaleiro 03 de julho de 2017 às 14:35

Wall Street arrancou em terreno positivo num dia em que os investidores vão abandonar os mercados mais cedo. Pelas 13:00 locais, ou 18:00 de Lisboa, as bolsas encerram. 

 

Para já, o dia começou positivo. O Dow Jones soma 0,40% para 21.433,97 pontos ao passo que o tecnológico Nasdaq segue com uma subida de 0,56% para 6.174,527 pontos. O S&P 500 ganha 0,52% para 2.435,18 pontos.

 

As bolsas americanas acompanham o ganho que está a ser sentido na Europa. O dia está a ser de subidas, com algumas praças do Velho Continente até com ganhos superiores a 1%, nomeadamente Madrid, Paris e Milão. O português PSI-20 segue a avançar 0,84%.

 

Na sexta-feira, a negociação nos Estados Unidos foi mista, com o Dow Jones e o S&P 500 a encerrarem em alta e o tecnológico Nasdaq em queda. De acordo com a Reuters, o índice americano S&P 500 teve, nos primeiros seis meses deste ano, o melhor semestre desde 2013.

 

A valorização desta segunda-feira está a seguir a tendência positiva dos preços do petróleo nos mercados internacionais, com valorizações próximas de 1% tanto em Londres como em Nova Iorque. O dólar também está em alta, avançando mais de 0,5% em relação ao euro, que tinha ganho força na semana passada.

 

Já esta semana semana, as transacções serão mais curtas nos EUA. A sessão de segunda-feira estende-se apenas até às 13:00 locais, 18:00 em Lisboa, sendo que as bolsas não abrem na terça-feira, feriado de 4 de Julho, o dia da Independência.

 

A semana conta com dados de emprego, a divulgar na sexta-feira, mas ainda antes, esta quarta-feira, serão reveladas as actas do encontro da Reserva Federal que teve lugar nos dias 13 e 14 de Junho, quando a autoridade monetária liderada por Janet Yellen elevou, pela terceira vez desde Dezembro do ano passado, as taxas de juro. 

No início desta semana, a Alcoa é a companhia em destaque, com um avanço de 1,38% para 33,10 dólares. O Bank of Americana está igualmente em alta, com um ganho de 0,97% para 24,495 dólares, a par do JPMorgan, que também segue nos 91,65 dólares, subindo 0,27%. 

(Notícia actualizada com evoluções de empresas americanas pelas 14:48)

 

 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
um estranho e MANIPULADO mistério 03.07.2017


tal como os bancos por toda a europa que subiram 30 % em 7 dias aqui o NOSSO BCP subiu 1 % ESTRANHO MISTÉRIO ainda mais que o milenium polaco TRIPLICOU tal como o português os resultados do 1 TRIMESTRE e as AÇÕES continuam por TRIPLICAR ; MISTÉRIO

Saber mais e Alertas
pub