Política Monetária Yellen diz que Fed continua pronta a subir juros

Yellen diz que Fed continua pronta a subir juros

A presidente da Reserva Federal norte-americana, Janet Yellen, afirmou que a economia dos EUA está "próxima" dos objectivos da Fed em matéria de estabilidade de preços e pleno emprego e mostrou-se confiante na prossecução desta tendência.
Yellen diz que Fed continua pronta a subir juros
Reuters
Carla Pedro 19 de janeiro de 2017 às 01:54

Janet Yellen disse na quarta-feira, 18 de Janeiro, que a economia norte-americana está "próxima" de atingir as metas do banco central do país no que diz respeito à inflação e ao emprego, tendo-se mostrado confiante de que continuará a melhorar.

 

"É justo dizer que a economia está próxima do pleno emprego e que a inflação está a dirigir-se para o nosso objectivo", declarou a presidente da Fed num discurso no Stanford Institute for Economic Policy Research.

 

A responsável da Reserva Federal afirmou, citada pela Bloomberg, que "faz sentido ir reduzindo gradualmente o nível de apoio em matéria de política monetária" e acrescentou que o timing para a próxima subida das taxas de juro directoras "dependerá da forma como a economia evoluir nos próximos meses".

 

Yellen assinalou assim que a Fed se mantém pronta para subir juros se a economia continuar a fortalecer, tal como o banco central antecipa.

 

Com estas declarações, a nota verde disparou. Com efeito, o índice spot da Bloomberg para o dólar (que mede o desempenho de um capaz de 10 divisas líderes a nível internacional face à nota verde) segue a ganhar 1,1% na negociação fora de horas, naquela que é a valorização mais acentuada em um mês. 

 

Em resposta às perguntas da audiência esta quarta-feira em São Francisco, Yellen disse que o crescimento mais forte dos EUA ajudou a manter o dólar firme face às moedas dos seus principais parceiros comerciais, afirmando ainda que esta que a tendência prossiga.

 

Yellen sublinhou também que os riscos à estabilidade financeira nos EUA são "moderados" e que o banco central está à espera das novas políticas que serão anunciadas pela Admnistração de Donald Trump – que será empossado esta sexta-feira, 20 de Janeiro, como presidente do país – para perceber se poderão alterar as perspectivas da Fed.

 

No passado dia 14 de Dezembro, a Fed subiu a taxa dos fundos federais em 25 pontos base, para um intervalo compreendido entre 0,50% e 0,75% - o único aumento em 2016, depois de uma primeira subida em Dezembro de 2015 pela primeira vez em quase uma década.

 

Na reunião de Dezembro passado, os responsáveis da Fed estimaram que poderiam subir os juros três vezes em 2017, em 25 pontos base de cada vez. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 19.01.2017

SABIAM QUE ESTA SENHORA GANHA MENOS QUE O CARLOS COSTA DO BANCO DE PORTUGAL?
É CLARO QUE ELE MERECE!

pub
pub
pub
pub