Cultura Zé Pedro: Presidente da República lamenta morte de "guerreiro da alegria"

Zé Pedro: Presidente da República lamenta morte de "guerreiro da alegria"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, manifestou hoje o seu pesar pela morte do guitarrista dos Xutos & Pontapés, Zé Pedro, que classificou como um "guerreiro da alegria" e "da vontade de viver".
Zé Pedro: Presidente da República lamenta morte de "guerreiro da alegria"
Lusa 30 de novembro de 2017 às 21:43

"Era um guerreiro da alegria, da vontade de viver, de superar dificuldades, de nunca desistir. Chegou cedo demais o descanso deste guerreiro, que certamente não será esquecido por tantos e tantos amigos que deixou", escreveu o chefe de Estado, numa mensagem colocada no 'site' da Presidência da República.

 

Depois de manifestar o seu pesar a "toda a família e amigos do Zé Pedro", lembrando que o músico "era assim afectuosamente tratado por todos os portugueses", Marcelo recorda que "os seus primeiros passos na música coincidiram com o despertar do país para o movimento punk, tendo mais tarde fundado uma das maiores bandas de rock de Portugal, e sobretudo uma das que mais tempo sobreviveu e acompanhou várias gerações".

 

Hoje à noite, em declarações aos jornalistas, na Fundação Calouste Gulbenkian, Marcelo Rebelo de Sousa evocou "com saudade e com gratidão" o guitarrista dos Santos & Pontapés, "por aquilo que deu a Portugal e aos portugueses".

 

O chefe de Estado considerou que Zé Pedro teve "um percurso excepcional, sobretudo a partir de 1982, dos anos 80, e portanto, de mais de 30 anos, mais de 35 anos, compreendendo muitas gerações - que se reuniam, aliás, nos seus concertos - e fazendo também o percurso que o país ia fazendo".

 

"Todos nós recordamos aquilo que ele marcou no panorama musical, no panorama do rock português, mas também na sociedade portuguesa, porque em cada momento podemos identificar interpretações que tinham a ver com aquele instante da vida de Portugal. Acompanhámos ultimamente também a última tournée, nomeadamente o derradeiro concerto", acrescentou Marcelo Rebelo de Sousa.

 

O guitarrista dos Xutos & Pontapés morreu hoje, em Lisboa, aos 61 anos, disse à Lusa fonte próxima da família.

 

Zé Pedro estava doente há vários meses, mas a situação foi sempre mantida de forma discreta pelo grupo, tendo só sido assumida publicamente em Novembro, a propósito do concerto de fim de digressão dos Xutos & Pontapés, no Coliseu de Lisboa.

 

José Pedro Amaro dos Santos Reis nasceu em Lisboa, em 14 de Setembro de 1956, numa família de sete irmãos, "com um pai militar, não autoritário, e uma mãe militante-dos-valores-familiares", como recordou num dos capítulos da biografia "Não sou o único" (2007), escrita pela irmã, Helena Reis.

 

No final na década de 1970, Zé Pedro, com Zé Leonel e Paulo Borges, decidiu criar uma banda, baptizada Delirium Tremens. Passou depois a chamar-se Xutos & Pontapés, com a entrada de Kalú e de Tim para o lugar de Paulo Borges. O primeiro concerto da banda realizou-se há 38 anos, em 13 de Janeiro de 1979, nos Alunos de Apolo, em Lisboa.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub