Conjuntura Zona Euro cresce 0,3% em cadeia com França e Itália a recuperarem

Zona Euro cresce 0,3% em cadeia com França e Itália a recuperarem

No terceiro trimestre do ano, apenas seis países da Zona Euro observaram melhorias económicas. França e Itália destacam-se num grupo em que Portugal também se encontra.
Zona Euro cresce 0,3% em cadeia com França e Itália a recuperarem
Sara Antunes 15 de Novembro de 2016 às 10:20

O produto interno bruto (PIB) da Zona Euro aumentou 0,3%, no terceiro trimestre quando comparado com o trimestre anterior, revelou esta terça-feira, 15 de Novembro, o Eurostat. Esta tinha sido já a leitura inicial e ficou em linha com as estimativas dos analistas consultados pela Bloomberg. Já na União Europeia o crescimento foi de 0,4%.

 

Em termos homólogos, o PIB da Zona Euro cresceu 1,6%, idêntico ao do segundo trimestre, e a União Europeia expandiu-se 1,8%.

 

Entre os 18 países da Zona Euro, apenas 15 reportam estes dados referentes ao terceiro trimestre e destes apenas seis registaram melhorias.

 

Destaque para o PIB português, que no terceiro trimestre cresceu 0,8%, em cadeia, o que superou as estimativas dos economistas (que apontavam para um aumento do PIB de 0,3%) e lidera os crescimentos em toda a região.

 

Surpresa foi também o crescimento da Grécia, cujo PIB aumentou 0,5%, acelerando o ritmo de crescimento, tal como já tinha sido revelado na segunda-feira.

 

Mas os grandes destaques são a França, que conseguiu regressar ao crescimento económicos (0,2%), depois de ter observado uma contracção de 0,1% no segundo trimestre, e a Itália, que estagnou no segundo trimestre e que voltou a crescer 0,3% nos três meses seguintes.

No caso de França, o Eliseu já tinha reportado os dados no final de Outubro, com os números a ficarem aquém do esperado, já que os economistas consultados pela Bloomberg estimavam um crescimento de 0,3%. 

 

Além destes países, apenas a Áustria e a Finlândia registaram melhorias económicas em cadeia, ainda que nenhum país da União Europeia tenha registado qualquer contracção económica. 

Esta manhã tinham sido já revelados os dados da Alemanha, com a maior economia europeia a registar um abrandamento do ritmo de crescimento superior ao previsto. O PIB da Alemanha cresceu 0,2% quando os economistas consultados pela Bloomberg apontavam para um aumento de 0,3%.

Já Espanha cresceu 0,7%, em cadeia, o que corresponde a um abrandamento face ao segundo trimestre, período em que o crescimento foi de 0,8%, tal como já tinha sido noticiado no final de Outubro. Em termos homólogos, Espanha continua a ser dos países que mais cresce, registando o dobro da Zona Euro (1,6%), num período marcado por uma grande instabilidade política, depois das eleições legislativas não terem dados vitória com maioria a nenhum partido. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub