Zona Euro Zona Euro mantém dinamismo impulsionada por euro baixo

Zona Euro mantém dinamismo impulsionada por euro baixo

A economia Zona Euro mantém em Dezembro o seu dinamismo, impulsionada pelo facto de o euro estar frágil.
Zona Euro mantém dinamismo impulsionada por euro baixo
Reuters
Negócios 15 de dezembro de 2016 às 11:06

A economia da Zona Euro mantém o seu dinamismo em Dezembro. O índice PMI, que mede a evolução da indústria e dos serviços, está nos 53,9 pontos, o mesmo valor que em Novembro. Além disso, esta leitura representa o valor mais elevado no ano. O crescimento da produção esteve na origem desta evolução. Este aumento "está relacionado em parte com a desvalorização do euro e o que ofusca o abrandamento do crescimento dos serviços".

"Um desenvolvimento importante em Dezembro foi o acentuar da intensificação das pressões inflacionistas. Uma combinação de custos de importações mais elevados, fruto da desvalorização do euro, e o crescimento dos preços das matérias-primas mundiais significam que, em média, os preços da produção cresceram ao ritmo mais acentuado em cinco anos e meio, impulsionado pelo crescimento dos preços nas fábricas, o que indica o aumento mais elevado desde Maio de 2011", pode ler-se no comunicado de impressa da IHS Markit.

"Contudo, os fornecedores de serviços também registaram o maior aumento dos custos em quatro anos em parte devido aos preços dos combustíveis e do petróleo mais elevados", acrescenta.

O economista chefe da Markit considera, em comunicado, que "há um potencial claro para que a incerteza política descarrilhe o crescimento com as eleições na Holanda, França e Alemanha e também com o início das negociações para o Brexit".


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 15.12.2016



O BURACO ANUAL DA C.G.A. CUSTA MAIS DO QUE O RESGATE DE UM BANCO


PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.

comentários mais recentes
Anónimo 15.12.2016



O BURACO ANUAL DA C.G.A. CUSTA MAIS DO QUE O RESGATE DE UM BANCO


PS - PCP - BE - e seus apoiantes - ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

400 milhões de Euros para aumentar as pensões baixas, são migalhas em comparação com...

os mais de 4600 milhões de euros que o Estado vai injetar, em 2017 (e injeta todos anos) através de transferências diretas do Orçamento do Estado (ou seja, com dinheiro pago em impostos pelos restantes portugueses) para assegurar o financiamento do buraco anual das pensões dos FP-CGA.

pub