Tecnologias Zungueiras de Luanda passam a jogo de telemóvel

Zungueiras de Luanda passam a jogo de telemóvel

No quotidiano de Luanda é habitual ver as zungueiras (vendedoras ambulantes) a fugir à polícia. Um grupo de oito jovens angolanos transformou esta realidade num jogo para telemóvel.
Zungueiras de Luanda passam a jogo de telemóvel
Lusa 19 de Outubro de 2016 às 14:32

Oito jovens programadores angolanos desenvolveram um jogo para 'smartphone' recriando as típicas corridas dos fiscais às 'zungueiras', mulheres que vendem um pouco de tudo pelas ruas de Luanda, o qual, em apenas três dias, foi descarregado 6.100 vezes.

 

O jogo Zungueira Run, que tem em "Mana Augustina", de bacia à cabeça, a figura principal, consiste numa 'app' (aplicação) para telemóvel desenvolvida por estudantes angolanos, sete dos quais ainda no ensino secundário e um a frequentar a universidade. Têm idades entre os 16 e os 24 anos, e o gosto pela programação levou-os a criar, em Agosto, a empresa Bantu Games e um jogo que chegou à semifinal da Microsoft "Imagine Cup".

 

"Queríamos desenvolver um jogo característico, nosso, de 'endless runner' ou corrida infinita. E nessa categoria existem dois personagens principais: quem foge e quem persegue. No nosso meio [Luanda] acabei por ver que quem pratica a corrida infinita, todos os dias, são as 'zungueiras', a fugirem dos fiscais", contou à Lusa Xande Pinto, o mais novo do grupo.

 

A venda ambulante é proibida em Luanda pelas administrações municipais, ao mesmo tempo que é possível comprar-se de tudo um pouco em qualquer rua, enquanto a "corrida" também se tornou habitual. Ou seja, quando estas mulheres, de bacia à cabeça com o "negócio" para vender, fogem, ao mínimo sinal da presença dos fiscais municipais, deixando na rua a mercadoria, desde utensílios da cozinha, a roupa, passando por fruta ou sabão.

 

Para acabar com a venda ambulante desordenada nas ruas da capital angolana, várias administrações municipais da capital estão mesmo a aplicar multas a partir de 45.009 kwanzas (quase 250 euros), equivalente a dois salários mínimos nacionais.

 

"Foi só adaptar a nossa realidade ao jogo", explica, por seu turno, Xande Pinto, assumindo a inspiração no famoso Subway Surfers, outro jogo para 'smartphone', também da categoria de corrida infinita.

 

Disponível para já apenas para modelos com sistema operativo android - e com uma versão para Iphone prometida até final do ano -, a versão experimental do Zungueira Run foi descarregada 6.137 vezes nos três primeiros dias, entre 14 e 16 de Outubro.

 

"Queremos que as pessoas usem o jogo e deem as opiniões, porque este é uma versão experimental, para que no fim, o Zungueira Run não seja desenvolvido pelo Bantu Games, mas por todos os angolanos", explicou ainda Xande Pinto.

 

Para já, o 'download' do jogo é gratuito e o negócio destes jovens passará por rentabilizar com a inserção de publicidade.

 

"Antes éramos só um grupo de programadores, agora somos uma pequena empresa de desenvolvimento. Pretendemos mostrar que existem jovens com capacidade em Angola", rematou o mais jovem dos fundadores da Bantu Games.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub