Educação BEI dá empréstimo de 16 milhões para construir Nova em Carcavelos

BEI dá empréstimo de 16 milhões para construir Nova em Carcavelos

O Plano Juncker já rendeu 16 milhões para a Nova School of Business and Economics, para a concepção e construção do novo campus.
BEI dá empréstimo de 16 milhões para construir Nova em Carcavelos
DR
Diogo Cavaleiro 08 de setembro de 2017 às 18:18

O Banco Europeu de Investimento vai conceder 16 milhões de euros à faculdade de economia da Universidade Nova de Lisboa para a concepção e construção do novo campus em Carcavelos, anunciou a Comissão Europeia esta sexta-feira, 8 de Setembro.

 

"Na presença de Carlos Moedas, comissário europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, de Román Escolano, vice-presidente do BEI, de Daniel Traça, dean da Nova SBE, e de Pedro Santa Clara, presidente da Fundação Alfredo de Sousa, foi assinado, em Carcavelos, um contrato de empréstimo no montante de 16 milhões de euros com a garantia do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), elemento central do chamado Plano Juncker", assinala um comunicado de imprensa da representação da Comissão em Portugal.

 

A construção deste espaço de 84 mil metros quadrados já se iniciou no ano passado, prevendo-se a sua operacionalização no ano académico 2018-2019. "As novas instalações permitirão acolher 3.200 estudantes, um acréscimo de 700 em relação à capacidade do actual campus de Campolide".

 

A nota de imprensa conta com citações dos visados e, do lado da Comissão Europeia, Carlos Moedas defende que o "contrato mostra claramente que, juntamente com o programa Horizonte 2020 e os Fundos Europeus Estruturais e de Investimento, o FEIE tornou-se numa fonte adicional de financiamento para a manutenção da excelência das universidades e centros de investigação europeus".

 

Román Escolano, do BEI, diz, citado na nota, que o empréstimo terá impacto no aumento do espaço da faculdade, "mas também da capacidade de ensino e investigação de um dos mais importantes estabelecimentos de ensino da União Europeia". "Alavancamos a globalização, atraindo alunos, empresas e professores estrangeiros, criando no nosso campus um espaço aberto e diverso, de diálogo e debate", indica Daniel Traça.

 

O plano de investimento conhecido como plano Juncker, por ter sido lançado pelo presidente da Comissão Europeia, tem como objectivo dinamizar investimentos na região, apoiando igualmente a criação de emprego e o crescimento económico.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub