Educação Bolsas de estudo no superior crescem e já há 3.250 pedidos para 2017-2018

Bolsas de estudo no superior crescem e já há 3.250 pedidos para 2017-2018

O número de bolsas de estudo atribuídas no ensino superior no último ano lectivo cresceu face ao ano anterior, e já há mais de três mil candidatos a esse apoio social para o próximo ano, indicam dados do Governo.
Bolsas de estudo no superior crescem e já há 3.250 pedidos para 2017-2018
Lusa 17 de julho de 2017 às 20:28

Segundo as informações divulgadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), houve em 2016-2017 um total de 71.816 bolsas atribuídas, mais 2.949 do que no ano lectivo anterior.

 

Em crescendo estão também o número de candidatos, e o número de bolsas recusadas. Das 94.531 candidaturas submetidas no último ano (contra as 90.572 de 2015-2016) 21.936 foram indeferidas (contras as 20.534 de 2015-2016).

 

A tutela refere que "o número de bolsas de estudo a estudantes cresce mais de 4% desde 2015 e atinge o valor máximo da década em 2016-2017".

 

A informação do MCTES recorda as alterações promovidas no processo de atribuição de bolsas de estudo para o próximo ano lectivo, referindo que "a contratualização da atribuição das bolsas de estudo é traduzida num procedimento simplificado e automático para todos os anos subsequentes ao primeiro ano de atribuição de bolsa".

 

"O processo de candidatura a bolsas de estudo para o ano lectivo de 2017/2018 encontra-se aberto desde 25 Junho de 2017 estando 3.250 candidaturas submetidas até ao momento, (+5% que em mesmo momento do ano anterior). É estimado que cerca de 50% estão em condições de serem alvo de processo de renovação automática", adianta a tutela.

 

Sobre os cursos técnicos superiores profissionais (CTESP), as formações curtas de dois anos leccionadas pelos institutos politécnicos, de nível superior, mas que não conferem grau académico, os números do Governo mostram que havia 11.013 inscritos nestes cursos, maioritariamente no ensino superior público, onde a oferta é maior. O número é quase o dobro dos inscritos no ano lectivo anterior.

 

Os CTESP foram lançados no mandato do ex-ministro da Educação e Ciência Nuno Crato, com o objectivo de ligar o ensino superior às empresas e ao mercado de trabalho.

 

No que diz respeito a bolsas de doutoramento atribuídas pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), os dados do MCTES indicam que houve em 2016 um crescimento face a 2015, com 1.380 bolsas atribuídas em 2016 contra as 895 do ano anterior.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 dia

Você precisa APRENDER INGLÊS? Mas não é fácil, não é mesmo? A correria do dia a dia e as distrações do momento impedem nosso aprendizado! Saiba que você precisa de um método! De um caminho que te leve ao seu objetivo de FALAR INGLÊS! Existe um método (http://bit.ly/2sXQbcP) que te ajuda a fazer isso

pub