Educação Presidente empenhado em solução para os contratos de associação

Presidente empenhado em solução para os contratos de associação

Representantes dos colégios levaram argumentos legais e contas que contrariam a versão do Governo. Presidente disse estar empenhado numa solução e prometeu falar do assunto com António Costa no encontro desta sexta-feira.
Presidente empenhado em solução para os contratos de associação
Manuel Esteves 26 de maio de 2016 às 19:43

O Presidente da República recebeu ontem os representantes das escolas privadas num encontro que fonte de Belém classificou como uma audiência não pública e que, por esse motivo, não constava da agenda oficial de Marcelo Rebelo de Sousa. Em comunicado, os representantes das escolas que se opõem à revisão dos contratos de associação mostraram-se animados, garantindo que o Presidente demonstrou empenho em resolver o problema. "O Presidente mostrou-se apostado em encontrar "uma solução para o problema", prometendo "falar nisso ao primeiro-ministro, no seu encontro semanal", esta sexta-feira.


Os representantes dos colégios entregaram ao Presidente um parecer do constitucionalista José Carlos Vieira de Andrade, onde a tutela é acusada de ter uma "interpretação redutora dos contratos" que "não corresponde ao texto nem à vontade contratual manifestada", cita a Lusa.

Além dos argumentos legais, o Presidente terá tido ainda conhecimento das contas dos colégios, que contrariam os números do Governo. "Demonstrámos que uma nova turma em escola pública custa, no mínimo, 105.800 euros por ano; e que uma nova turma numa escola com contrato de associação apenas custa 80.500 euros. Logo, cada nova turma que deixe de abrir nas escolas privadas e que abra nas escolas pública passa, no mínimo, a custar mais 25 mil euros por ano aos contribuintes", disse Manuel Bento, um dos porta-vozes do movimento, citado no comunicado enviado às redacções.

 

Os números do Governo são diametralmente opostos. As contas divulgadas pelo Instituto de Gestão Financeira do Ministério da Educação indicam que a abertura de uma nova turma numa escola pública custa 54 mil euros, menos 26.500 do que custaria num colégio privado com contrato de associação. O instituto assume apenas como custos a contratação de dois professores, que equivale aos tais 54 mil euros. 


A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
EX.votante PSD Há 13 horas

Laranjal bancarroteiros a gastar os nossos impostos com a onda amarela.vão trabalhar malandros como se diz aqui no norte. vou votar na onda dos 62% ,com meu voto não mamam mais acabou.

Anónimo Há 1 dia

Marcelo já conhece a história e a sua origem. A origem desta campanha começou com um manifesto em Stª Maria da Feira promovido por uns professores do BE e Nogueira saltou depois para a cabeça da luta uma vez que tem o Ministério da Educação na mão. A 1.ª investida foi a de iludirem as pessoas dando a entender que colégios não são oferta pública. Acontece que são! e depois, com a ajuda do Ministro que é mas não é, dar a entender que a oferta pública contratualizada seria mais cara que a Escola Pública onde Nogueira tem os seus sócios. Acontece que a Escola de Nogueira custa mais 25 mil euros por turma. Portanto Marcelo vai meter o Taiguinho na ordem e obrigá-lo a falar verdade às pessoas, não o dispensando de apresentar números credíveis sobre custos. Nogueira que se cuide porque ficou debaixo dos holofotes e o tiro poderá sair-lhe pela culatra pois agora os colégios querem ver os números que lhe permitem ter um exercito de gente no topo da Carreira destacados nos sindicatos sem darem uma aula.

Completamente Há 1 dia

Caro comentador das 22:43, só duas ou três palavras : ASSINO POR BAIXO DO TEU COMENTÁRIO. PONTO.

zzz Há 1 dia

Anónimo das 21:55, és um animal,

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub