Educação “Em nenhum momento pedi a João Menezes que não exonerasse o seu chefe de gabinete”

“Em nenhum momento pedi a João Menezes que não exonerasse o seu chefe de gabinete”

A versão do ministro da Educação, agora conhecida, contraria a de Wengorovius Menezes, que ontem esclareceu ter querido demitir Félix por "falta de competência e de lealdade" e que o ministro lhe pediu que não o fizesse.
“Em nenhum momento pedi a João Menezes que não exonerasse o seu chefe de gabinete”
Miguel Baltazar
Paulo Zacarias Gomes 01 de Novembro de 2016 às 21:30
O Ministro da Educação reafirmou desconhecer que o chefe de gabinete do secretário de Estado da Juventude e Desporto, Nuno Félix, não tivesse as licenciaturas concluídas e negou que tivesse pedido ao anterior titular da secretaria de Estado, João Wengorovius Menezes, para não demitir Félix.

"Disse que não sabia e reafirmo que não sabia. Não sabia que havia um erro. (...) Em nenhum momento eu pedi ao governante João Menezes que não exonerasse o seu chefe de gabinete," garantiu Tiago Brandão Rodrigues esta terça-feira, 1 de Novembro, em entrevista ao Jornal da Noite, na SIC.

Nuno Félix demitiu-se esta sexta-feira na sequência de notícias que davam conta de que no seu despacho de nomeação constavam qualificações que não detinha, nomeadamente duas licenciaturas em Ciências da Comunicação e Direito que estavam incompletas mas eram referidas no seu despacho de nomeação como estando concluídas.

O Observador tinha avançado no mesmo dia que o ministro sabia das licenciaturas incompletas e que Wengorovius quis demitir Nuno Félix, não apenas por esta razão, e que foi impedido por Tiago Brandão Rodrigues.

A versão do ministro agora conhecida contraria a de Wengorovius Menezes, que ontem escreveu na sua página de Facebook que quis demitir Félix por "falta de competência e de lealdade". "O ministro pediu-me que não o exonerasse," afirma o ex-secretário de Estado na mesma publicação citada por meios de comunicação social.

Depois da notícia do Observador, Wengorovius já tinha no entanto vindo dizer à TSF: "Nunca comuniquei 
formalmente ao ministro o facto de Nuno Félix não ter uma ou duas licenciaturas."

Tiago Brandão Rodrigues recusou ainda ter feito ingerências na actividade do secretário de Estado João Wengorovius Menezes (que se demitiu em Abril passado em ruptura com o ministro e também ontem, no Facebook, atribuiu essa ruptura a "ingerências frequentes e injustificadas" do ministro), afirmando que o mais importante é "cumprir o programa de Governo".

"Não tenho nenhum tipo de ingerência no trabalho dos outros governantes, nem com os que trabalham comigo. No entanto, eu sou ministro da Educação," afirmou, dizendo-se ainda "absolutamente sereno, tranquilo" com esta situação.

"Havia um facto real: um despacho de nomeação conter inverdades, que é condenável. Houve consequências, que foi haver a demissão do chefe de gabinete," afirmou na mesma entrevista.



A sua opinião21
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Fernando Marques Há 1 semana

Aqui a questão que se impõe é a seguinte: - Tinha o ministro conhecimento antecipado da vigarice? Se sim, deveria demitir-se por conivência com a vigarice; se não, deveria demitir-se por incompetência, principalmente por ser um assunto que diz respeito precisamente ao ministério que preside!

comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Não acertas uma...BADALHOCO!

Maria Bernardo Rocha Rocha Há 1 semana

Dizem que sabiam,não sabiam,dá para perceber,no entanto há tantosjovens competentes e honestos neste País,que fizeram as suas licenciaturas com trabalho e mais QUEREM TRABALHAR!

Emidio Jose Há 1 semana

só politiquices,trabalhem para o país progredir e para os cidadãos viverem melhor,escolham os melhores para cada cargo é tempo de acabar com compadrios e tachos.

Susy Àvila Há 1 semana

Estes tipos quando vão para estas entrevistas já sabem as perguntas que lhes vão fazer e assim já vão com as respostas preparadas.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub