Educação Ensino Superior: Quase 40 cursos ainda sem alunos após 2.ª fase de acesso

Ensino Superior: Quase 40 cursos ainda sem alunos após 2.ª fase de acesso

Quase 40 cursos superiores continuam sem qualquer aluno colocado, depois de concluída a 2.ª fase do concurso nacional de acesso, predominando nesta lista cursos das áreas de engenharia nos politécnicos, segundo dados oficiais divulgados esta quinta-feira.  
Ensino Superior: Quase 40 cursos ainda sem alunos após 2.ª fase de acesso
Correio da Manhã
Lusa 28 de setembro de 2017 às 00:19

Um total de 38 cursos continua sem qualquer vaga preenchida, de acordo com os dados da Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES) hoje divulgados, maioritariamente formações nas áreas de engenharias leccionadas em politécnicos no interior do país. 

 

Dos 1.063 cursos disponíveis no concurso nacional de acesso deste ano, 838 já não têm qualquer vaga disponível para a 3.ª fase.

 

As universidades do Algarve e dos Açores são as instituições com maior número de vagas disponíveis para a 3.ª e última fase do concurso nacional de acesso, para a qual, no total, sobraram 4.009 lugares.  

 

Por outro lado, na Universidade Nova de Lisboa, na Universidade do Porto, na Universidade do Minho já não há vagas disponíveis. Na Universidade de Aveiro sobram três vagas e 13 na Universidade de Coimbra.

 

Medicina e Arquitectura lideram as médias mais altas de entrada no ensino superior na 2.ª fase do concurso nacional de acesso, com notas iguais ou superiores a 19 valores, acima dos 18,8 valores de média mais alta na 1.ª fase. 

 

Os cursos de Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto (19,07 valores) e da Universidade Nova de Lisboa (19,05 valores) registaram as médias mais elevadas de entrada no ensino superior na 2.ª fase do concurso nacional de acesso. 

 

Segue-se Arquitectura, na Universidade do Porto, cujo último candidato entrou com 19 valores, a encerrar a lista dos cursos com médias de candidatura de pelo menos 19 valores.

 

Dezanove cursos registaram médias de candidatura entre os 9,5 e os 9,99 valores. 

 

Na 2.ª fase do concurso nacional de acesso entraram este ano 9.831 estudantes, mais 2,6% do que no ano anterior, segundo dados oficiais.

 

Nesta fase o número de vagas colocadas a concurso foi de 11.419, às quais acresceram 2.320 vagas libertadas por candidatos colocados e matriculados na primeira fase que foram agora colocados na segunda fase. Os dados revelam que não foram ocupadas 4.009 vagas.

 

Os resultados da segunda fase do concurso são divulgados na Internet, no sítio da Direcção-Geral do Ensino Superior (http://www.dges.mctes.pt), podendo ainda ser consultados através da aplicação ES Acesso, disponível nas plataformas iOS5 e Android6.

 

Para os estudantes agora colocados, a matrícula e inscrição é realizada entre hoje e 2 de Outubro junto da instituição de ensino superior.

 

Cada instituição de ensino superior decide, para cada um dos seus cursos, sobre a abertura da terceira fase do concurso e as vagas a concurso são divulgadas no dia 5 de Outubro no sítio da Internet da Direcção-Geral do Ensino Superior (http://www.dges.gov.pt).

 

A candidatura à terceira fase do concurso é apresentada entre 5 e 9 de Outubro através do sistema online, disponível no sítio da Internet da DGES (http://www.dges.gov.pt).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Jovens despedidos de Portugal sem indemnização e a pagar taxa aeroportuária, nem o Salazar se lembrou deste imposto. O Costa é recordista em impostos e Divida.

Anónimo Há 3 semanas

A FORMACAO E A UNICA FORMA PESSOAL DE SAIR DO ABISMO NO ENTANTO O MERCADO AS LICECIATURAS DE AVIARIO LEVAM MTS A NAO CONTINUAR A ESTUDAR.ACORES E FAC DO INTERIOR N SAO CONVIDATIVAS,FICAM A KM DE DISTANCIA E A PRAXE MATA.

pub
pub
pub
pub