Economia Escolas impedidas de divulgar notas e horários das aulas na internet  

Escolas impedidas de divulgar notas e horários das aulas na internet  

Temendo "juízos estigmatizantes" sobre os alunos e ameaças à sua segurança, a Comissão de Protecção de Dados quer que as escolas retirem informações sobre notas e horários das áreas de acesso livre na net, adianta o Público.
Escolas impedidas de divulgar notas e horários das aulas na internet  
Bruno Simão/Negócios
Negócios 12 de outubro de 2016 às 09:17

Informações pessoais como as notas dos alunos e os horários das aulas não podem ser publicadas na internet, pelo menos não em áreas de acesso livre. Fotografias só se os alunos não forem identificados.

A posição é da Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPD) e é avançada esta quarta-feira pelo jornal Público, que adianta que todas as escolas que tenham esta informação pública serão obrigadas a retirá-la.

No caso concreto das notas, a CNPD teme que a divulgação destes dados podem ajudar a "produzir juízos estigmatizantes com elevado potencial discriminatório". Sobre os horários lectivos, considera que a sua disponibilização pode permitir a um criminoso saber a que horas uma criança sai da escola.

Fotografias do ambiente escolar só podem ser divulgadas se os alunos não puderem ser identificados. E se as pautas com as notas e os horários poderão constar da internet numa área reservada, com acesso restrito, no caso das fotografias nem se admite a divulgação de fotografias por este meio.

Na internet, fotos das turmas e da escola só se não identificarem os alunos e depois de obtida permissão dos pais, dada a subjectividade do que é uma imagem identificável, relata o Público.

As orientações da CNPD, datadas de 6 de Setembro deste ano, servem para os níveis de ensino do pré-escolar até ao secundário, aplicando-se tanto ao público como ao privado. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado serico115 12.10.2016

Tudo que seja feito em termos de segurança ou de estigmatizar os alunos eu acho óptimo, mas parece-me que a medida não é correcta. Isto porque a consulta pela NET, para além de ser mais fácil e acessível evita deslocações desnecessárias e permite alguma economia em termos monetários.
O que deveria ser feito e acho extremamente fácil, é que a publicação dos resultados em vez de serem indicados os nomes dos alunos serem os mesmos indicados por um número de referência ou código que só os estabelecimentos de ensino e os próprios alunos pudessem acessar.
Será que é preciso ser muito inteligente para se poder fomentar esta forma de fazer as publicações dos resultados dos exames ou de outros assuntos úteis para a população estudantil?

comentários mais recentes
Anónimo 12.10.2016


PS . BE . PCP são uns PHILHOS DE PHU TA que xupam o sangue ao POVO...

para dar mais dinheiro e privilégios aos FP & CGA.

Anónimo 12.10.2016

É pena que não sejam divulgada a VERGONHA DOS HORÁRIOS DUPLOS no Seixal com crianças do 1º ciclo a entrar às 7h50 (turno da manhã) e a sair às 18h45 (turno da tarde). Mais de 3000 crianças a estudar nestas condições..,. E depois venham falar de igualdade de oportunidades.

Mikebravo 12.10.2016

Para mim trata-se de mais um excesso da protecção de dados.
As notas são públicas, logo, tudo o que é público deveria ser publicado livremente da internet.
Qualquer pessoa pode ter acesso às mesmas junto do estabelecimento escolar, logo, isto parece-se mais uma medida de velho do Restelo, que mais tarde ou mais cedo vai acabar por ser banida, não tem razão de existir.
Estigmatização dos alunos, perante quêm? Aqueles que mais poderiam estigmatiza-los são os colegas de turma que têm conhecimento até dos resultados dos testes...
Vamos olhar para as coisas com mais inteligência e no sentido de tornar o pais mais moderno eficiente e desenvolvido.

serico115 12.10.2016

Tudo que seja feito em termos de segurança ou de estigmatizar os alunos eu acho óptimo, mas parece-me que a medida não é correcta. Isto porque a consulta pela NET, para além de ser mais fácil e acessível evita deslocações desnecessárias e permite alguma economia em termos monetários.
O que deveria ser feito e acho extremamente fácil, é que a publicação dos resultados em vez de serem indicados os nomes dos alunos serem os mesmos indicados por um número de referência ou código que só os estabelecimentos de ensino e os próprios alunos pudessem acessar.
Será que é preciso ser muito inteligente para se poder fomentar esta forma de fazer as publicações dos resultados dos exames ou de outros assuntos úteis para a população estudantil?

pub