Educação Governo quer formações curtas para acesso de adultos a Ensino Superior

Governo quer formações curtas para acesso de adultos a Ensino Superior

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, revelou hoje, em Matosinhos, que o Governo quer apostar em "formações curtas" para permitir o acesso ao Ensino Superior de adultos na casa dos 30 anos.
Governo quer formações curtas para acesso de adultos a Ensino Superior
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 15 de fevereiro de 2018 às 12:21

"Alargar as formações curtas" que permitam o ingresso no Ensino Superior "aos adultos, sobretudo na idade dos 30 anos" é, segundo explicou o ministro, o objetivo de uma das medidas que deve ser aprovada no Conselho de Ministros que começou pouco depois das 10:00 no CEIIA - Centro de Engenharia e Desenvolvimento de Produto, concelho de Matosinhos, distrito do Porto.

"Temos cerca de 250 mil portugueses com mais de 26 anos que nunca tiveram oportunidade de ir ao Ensino Superior. Estamos a facilitar formações curtas para os adultos também participarem no processo de aprendizagem e convergência com a Europa", observou o governante, em declarações aos jornalistas antes do início da reunião.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JCG Há 1 semana

Só que essa possibilidade já foi inventada há muitos anos. Eu utilizei-a no final dos anos 60. Estudei por minha conta e depois inscrevi-me nos exames regulares finais (ao lado dos alunos "profissionais"), no Camões e no Pde António Vieira, pelo menos. Sócrates não inventou: só abandalhou.

JCG Há 1 semana

A bandalheira socratina em aprofundamento!... Caminhamos a passos largos para o ideal: dar ou vender diplomas de doutor a analfabetos.
Há uma forma - a única séria - de reconhecer competências ou aquisições por adultos: a liberdade/ direito de se inscreverem em exames regulares nas escolas públicas

pub