Educação ISCTE avança com processo de venda de terreno

ISCTE avança com processo de venda de terreno

Já desde o final de 2015 que estava prevista a venda de um terreno na Av. das Forças Armadas para albergar dois hotéis, um “low cost” e outro de quatro ou cinco estrelas. Além da nova escola de hotelaria. O concurso foi agora aberto.
ISCTE avança com processo de venda de terreno
Cátia Barbosa/Negócios
Sara Antunes 22 de setembro de 2017 às 10:54

O ISCTE - Instituto Universitário de Lisboa vai avançar com a venda de uma parte do terreno da Av. das Forças Armadas. O projecto é já conhecido e visa a construção de dois hotéis e de uma escola de hotelaria. A venda deste imóvel tem como objectivo financiar a construção da escola. E a intenção é que sejam criadas as condições para se implementar o conceito de "hotéis aplicação". Ou seja, estas unidades hoteleiras funcionarão como uma extensão da escola, permitindo que os alunos apliquem o que aprendem.

 

Este conceito foi revelado pelo reitor do ISTCE em 2015, depois de ter sido aprovado pela Câmara de Lisboa a construção dos dois hotéis.

 

Um primeiro será "low cost" e terá um perfil universitário, segundo as declarações do reitor, Luís Reto, feitas ao Público em Dezembro de 2015. Esta unidade hoteleira terá 70 quartos, alguns dos quais reservados à Universidade.

 

Já o hotel de quatro ou cinco estrelas terá 150 quartos e o objectivo é que nesta unidade possa haver uma integração dos alunos da universidade, de modo a aplicarem o que aprendem.

 

O anúncio publicado esta sexta-feira, 22 de Setembro, em Diário da República adianta que "o valor de referência do prédio a alienar é o correspondente ao valor da construção do novo edifício do ISCTE-IUL, de acordo com o respectivo projecto, incluindo o custo da elaboração e revisão do projecto de execução, da assistência técnica e da fiscalização da obra, bem como das taxas municipais devidas".

 

Os interessados terão 51 dias para entregarem as suas propostas.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
PHAROL sobe por efeito OI ...só em Portugal 22.09.2017

Dizem que podem vir os chineses, com atitude abutre, de só quererem o melhor da Oi (o móvel), e no Brasil a OI baixou ontem na OIBR3, e estagnou na OIBR4. Ou seja, no Brasil não ligaram, mas em Portugal a Pharol já subiu cerca de 10% em 2 dias. Assim, está a PHAROL sozinha, pronta para ...descer.