Educação Katainen sugere enviar professores para Erasmus

Katainen sugere enviar professores para Erasmus

O vice-presidente da Comissão Europeia sugeriu ao ministro português da Educação fazer um programa específico para professores que não conseguem encontrar trabalho no seu país.
Katainen sugere enviar professores para Erasmus
Darrin Zammit Lupi/Reuters
Rita Faria 20 de junho de 2017 às 14:15

Jyrki Katainen, um dos quatro vice-presidentes da Comissão Europeia, sugeriu esta terça-feira, 20 de Junho, que Portugal poderia aproveitar os benefícios do Erasmus+ e fazer um programa específico para professores.

"O ministro da Educação poderia fazer um programa para professores. O dinheiro já lá está, o programa também, agora é só uma questão de encorajar as pessoas", afirmou o responsável, na Grande Conferência Anual do Jornal de Negócios. "Os professores já podem utilizar o programa Erasmus, e o mesmo acontece com formadores do ensino profissional".

No ano em que se comemora o 30.º aniversário do Erasmus, o vice-presidente da Comissão Europeia elogiou o programa como sendo "a jóia da coroa", insistindo no objectivo de alargar as oportunidades ao corpo docente.

"Gostaria de colocar mais ênfase não apenas nos estudantes universitários, mas também nos professores e alunos do ensino profissional. O Erasmus pode dar locais de troca para professores que não tenham emprego no seu próprio país", concretizou. "A mesma coisa se aplica para aqueles que estão a estudar uma profissão, como engenheiros, enfermeiros.

Se estiverem um ano ou seis meses noutro país o seu leque no mercado seria cada vez mais largo, em termos de emprego. Seria investimento em capital humano".

Jyrki Katainen avançou que o programa já permitiu a quatro milhões de estudantes estudarem noutro país da União Europeia. Ainda assim, "é pouco", considerou o responsável, acrescentando que "precisamos de mais mobilidade laboral". 




pub