Educação Licenciados em universidades privadas caem 41% em dez anos

Licenciados em universidades privadas caem 41% em dez anos

O número de estudantes do ensino superior privado que obteve uma licenciatura no último ano lectivo foi 41% inferior ao de há 10 anos. A crise e o menor número de inscritos nessas instituições de ensino são algumas das razões, escreve o Público.
Licenciados em universidades privadas caem 41% em dez anos
Correio da Manhã
Negócios 18 de setembro de 2017 às 10:07

No ano lectivo que terminou no ano passado, 2015/2016, houve um total de 12.210 diplomados por universidades e institutos politécnicos privados. Dez anos antes, em 2005/2006, o número de estudantes com "canudo" do privado cifrou-se em 20.772. A quebra é de 41%, escreve hoje o Público, e deve-se a várias razões. Entre elas a crise económica e a quebra demográfica (há agora menos jovens), que se reflectiram em menos estudantes a optarem pelo privado.

 

Esta descida não é um fenómeno novo, muito menos recente. Mas atingiu, em 2015/2016, um dos valores mais baixos. Segundo o diário, o número de licenciados nos mais de 80 estabelecimentos de ensino superior privado cresceu todos os anos de forma significativa até 2000/2001. Daí até 2003/2004 manteve-se acima dos 21 mil diplomados por ano. E de então para cá começou a cair – primeiro para os 20 mil, depois para os 19 mil, e em 2012/2013 travou para os 16.778 licenciados. Tendência que continuou a verificar-se.

 

João Redondo, presidente da Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado, diz que a redução do número de diplomados está directamente ligada à diminuição do número de estudantes nesse tipo de instituições, algo que atribui à crise e à redução demográfica de jovens observada a partir de 2009/2010.

 

António Cunha afirma igualmente que a redução do número de jovens entre os 15 e os 24 anos – de 1,5 milhões em 2001 para 1,1 milhões em 2011 – é um dos factores. Por outro lado, existiu um aumento de vagas no ensino superior público, embora esse não seja o factor chave. Para o ex-reitor da Universidade do Minho, a redução de alunos no privado que se verificou desde 2009 foi "tremendamente mais significativa" do que no ensino superior público.

 

No ano passado, o número de alunos colocados na universidade pública subiu ligeiramente para 45 mil – o valor mais alto desde 2010. Também em 2015/2016 foram atribuídos 73.086 diplomas entre público e privado.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Francisco António 18.09.2017

Dizia-me hoje um bom amigo que 2 clubes de futebol vão criar "universidades" ! Há presidentes dos clubes com "doutoramentos honoris causa" e alguns políticos conhecidos que já estão a apalpar o terreno para serem eleitos "reitores" !!!

pertinaz 18.09.2017

A RAZÃO É SIMPLES...
AS UNIVERSIDADES PÚBLICAS TÊM CADA VEZ MAIS RECEITAS PRÓPRIAS
HÁ QUE FAZER O MESMO AOS HOSPITAIS PÚBLICOS...!!!

pub