Educação Maioria dos alunos chumba em 75% das escolas

Maioria dos alunos chumba em 75% das escolas

Três em cada quatro escolas do 3.º ciclo viu mais de metade dos seus alunos chumbar pelo menos uma vez até concluir o nono ano ou ter negativa numa das provas nacionais.
Maioria dos alunos chumba em 75% das escolas
Correio da Manhã
Lusa 03 de fevereiro de 2018 às 12:35
Mais de sete em cada dez escolas do 3.º ciclo e secundário não conseguem que a maioria dos seus estudantes passe de ano e tenha positiva nos exames nacionais, segundo dados do Ministério da Educação.

O Ministério da Educação decidiu analisar as escolas tendo em conta os alunos que conseguiam terminar o ciclo de ensino sem chumbar e sem ter negativa nos exames nacionais e chamou-lhe "Percursos Directos de Sucesso".

No ano passado, em 75% das escolas do 3.º ciclo mais de metade dos alunos não conseguiu concluir o 9.º ano sem chumbar pelo menos uma vez ou sem ter negativa numa das provas nacionais.

Num universo de 1.145 escolas, apenas 287 (25%) conseguiram que pelo menos metade dos seus alunos tivesse um percurso direto de sucesso.

No secundário, a situação agravou-se ainda mais: Só 15,7% das escolas tiveram mais de metade dos seus alunos com percursos diretos de sucesso.

Das 546 escolas secundárias analisadas, só 86 tiveram pelo menos 50% dos seus alunos com sucesso, sendo que as primeiras 30 da lista são escolas privadas.

No 3.º ciclo, a primeira escola pública aparece em 12.º lugar mas a segunda pública só aparece em 31.º lugar.

A Escola Secundária Infanta Dona Maria é a escola pública mais bem classificada tanto entre os alunos do 3.º ciclo como entre os alunos do secundário.

A presença de escolas públicas no 'top' dos 'rankings' aumenta quando se compara a percentagem de alunos com percursos de sucesso em relação à média nacional de estudantes com níveis escolares semelhantes.

Entre as dez melhores classificadas, seis escolas são públicas. Depois do Colégio de São Miguel de Fátima, em Ourém, aparece a Escola Básica e Secundária de Arga e Lima, em Viana do Castelo, e a Escola Secundária de Porto de Mós, em Leiria.

A escola de Leiria destaca-se ao ter a segunda taxa mais elevada de percursos de sucesso (no universo das escolas públicas) mas também surpreende uma vez que, em média, as mães dos alunos que frequentam esta escola têm apenas 9,7 anos de estudos.

A maioria das escolas mais bem classificadas é frequentada por alunos de famílias com elevadas habilitações académicas, segundo os dados socioeconómicos, que revelam ainda que os jovens de famílias carenciadas têm mais dificuldades em conseguir fazer o seu percurso sem reprovações.

Apesar de as taxas de sucesso continuarem muito baixas, houve uma melhoria em relação ao ano anterior.

No final do ano letivo passado, 46% do total de alunos conseguiram terminar o 9.º ano sem chumbos nem negativas nos exames, o que revela um aumento de seis pontos percentuais em relação ao ano anterior.

No secundário também se registou uma melhoria de resultados, com 42% dos alunos a terminar o 12.º ano com um percurso de sucesso (mais cinco pontos percentuais em relação ao ano anterior).

Os dados divulgados pelo Ministério da Educação revelam ainda que as raparigas conseguem ter melhores resultados do que os rapazes: no 3.º ciclo, a maioria das raparigas (51%) teve um percurso de sucesso contra 41% dos rapazes, uma diferença que se esbate um pouco no secundário, onde as raparigas continuam a ter melhores resultados (47% contra 37% dos rapazes).

Os distritos de Coimbra e Braga são os únicos onde pelo menos metade dos alunos do básico consegue ter um percurso de sucesso, com 57% e 50% dos alunos respetivamente.

No secundário nenhum distrito consegue que, pelo menos, metade dos alunos nunca chumbe: Braga e Viana são os melhores, com 48% dos alunos a conseguir terminar o 12.º ano sem perder nenhum ano e com positiva nos exames nacionais.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Antunes 03.02.2018

Análise sem sentido

Saber mais e Alertas
pub