Educação Ministro da Educação teve alta hospitalar mas terá agenda condicionada  

Ministro da Educação teve alta hospitalar mas terá agenda condicionada  

O ministro da Educação teve hoje alta hospitalar depois de quatro dias de internamento, ficando com a agenda da próxima semana condicionada por indicação médica, disse à Lusa fonte oficial.
Ministro da Educação teve alta hospitalar mas terá agenda condicionada  
Miguel Baltazar
Lusa 17 de novembro de 2017 às 16:32

Tiago Brandão Rodrigues foi internado, na terça-feira, numa unidade do Serviço Nacional de Saúde em Lisboa, com o diagnóstico de síndrome vestibular agudo, não tendo estado presente na audição parlamentar de discussão na especialidade do Orçamento do Estado, que decorreu no dia seguinte.

 

A Síndrome Vestibular Aguda caracteriza-se por tonturas e vertigens, que se manifestam de forma aguda durante segundos ou minutos mas podem prolongar-se durante horas e são acompanhadas por vómitos, dificuldade em manter o equilíbrio, intolerância a movimentos da cabeça e perturbações da visão provocadas por movimentos descontrolados do globo ocular.

 

O sistema vestibular faz parte do "labirinto" do ouvido interior e é constituído por estruturas membranosas associadas ao sentido do equilíbrio e orientação espacial.

 

A audição parlamentar do ministro da Educação coincidia com uma greve e manifestação junto do parlamento, convocadas pela Federação Nacional dos Professores (Fenprof) e pela Federação Nacional da Educação (FNE) e outros sindicatos para exigir o descongelamento das progressões, a recuperação dos anos de congelamento e a contagem integral do tempo de serviço prestado pelos docentes.           

 

A greve e concentração de professores foram convocadas pela Fenprof, FNE e Frente Sindical de Docentes, constituída pelos sindicatos de professores ASPL, Pró-Ordem, SEPLEU, SINAPE, SINDEP, SIPPEB, SIPE e SPLIU.

 




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

Ainda b q já saiu do hospital m c se lê na noticia ainda n totalmente recuperado. C diz no anterior coment.
deixou o M dos sindicatos a falar sozinho. Em parte n merecia melhor. Precisamos do sindicatos m com pessoas sensatas e educadas. Qtº ao Ciresp q peça q o feitiço n se volte c o feiticeiro

Anónimo Há 3 semanas

Deixou o ministro dos sindicatos a falar sozinho? Que pena...

General Ciresp Há 3 semanas

Alguem deu por falta dele.?!:;,"

pub