Educação Notas dos alunos sobem nas escolas públicas e descem nas privadas

Notas dos alunos sobem nas escolas públicas e descem nas privadas

Escolas privadas conseguem nota média mais alta do que as privadas, mas, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Educação, a diferença diminuiu no ano passado.
Notas dos alunos sobem nas escolas públicas e descem nas privadas
André Cravinho / Correio da Manhã
Lusa 03 de fevereiro de 2018 às 11:43
Os alunos das secundárias públicas melhoraram os seus resultados nos exames nacionais do ano passado, uma realidade a que escaparam os estudantes do privado, cuja média desceu ligeiramente, revelam dados do Ministério da Educação.

Segundo uma análise feita pela Lusa que compara os resultados dos exames realizados no ano passado com as notas do ano anterior, os estudantes das escolas públicas subiram a média enquanto os das privadas desceram.

No ano passado, a média dos estudantes dos colégios foi de 12,07 valores (menos 0,14 valores em relação ao ano anterior) enquanto nas escolas públicas foi de 10,74 valores (mais 0,78 valores).

Esta melhoria de notas entre os alunos do ensino público traduziu-se num aumento de escolas com média positiva: Num universo de 521 estabelecimentos de ensino, 391 tiveram positiva (75%).

No entanto, o sucesso continua a ser maior entre os alunos dos privados: 85% dos colégios tiveram média positiva contra 73% das escolas públicas.

Olhando para a evolução dos últimos cinco anos, os alunos têm vindo a melhorar os seus resultados às principais disciplinas: a Física e Química, Biologia e Geologia, Matemática A e Português as médias nacionais subiram cerca de dois valores entre 2013 e 2017.

Naquele período, os alunos também tiveram melhores resultados a Geografia A e Filosofia, disciplinas em que subiram cerca de um valor, numa escala de zero a 20.

Os alunos têm, habitualmente, desempenhos mais fracos nos exames em relação à nota atribuída pelos seus professores pelo trabalho realizado ao longo do ano em sala de aula e o ano passado não foi excepção: tanto nas privadas como nas públicas a diferença entre as duas notas foi de 2,8 valores.

As raparigas voltaram a ter melhores notas tanto nos exames nacionais como na nota atribuída pelas escolas pelo trabalho realizado ao longo do ano (o CIF): tiveram em média 13,98 valores de nota atribuída pela escola enquanto os rapazes tiveram 13,46 valores.

Também nos exames nacionais, as raparigas voltaram a destacar-se conseguindo uma média 0,4 décimas acima dos rapazes, 11,06 valores e 10,72 respectivamente. 



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Anónimo 03.02.2018

Esta notícia deveria servir para o Mário Nogueira reflectir. Acomodado ao seu lugar de "terrorista" não acredito que leia a notícia e a saiba interpretar. Quando se preocupam com tudo menos o ensino não existem comentários possíveis...

pub