Educação Programa Erasmus+ terá orçamento de 2,5 mil milhões de euros em 2017

Programa Erasmus+ terá orçamento de 2,5 mil milhões de euros em 2017

Beneficiando de um aumento de 13% face a 2016, no próximo ano o orçamento disponível para o programa Erasmus+ será de 2,5 mil milhões de euros.
Programa Erasmus+ terá orçamento de 2,5 mil milhões de euros em 2017
Correio da Manhã
David Santiago 20 de Outubro de 2016 às 13:49

De 2016 para 2017 o orçamento destinado ao Erasmus+ vai beneficiar do maior aumento (+13%) desde o início deste programa, em 1 de Janeiro de 2014. Assim, no próximo ano o orçamento do Erasmus+ cresce em quase 300 milhões de euros para 2,5 mil milhões de euros, segundo revelou esta quinta-feira, 20 de Outubro, a Comissão Europeia em comunicado.

 

A Comissão Europeia convida agora as diversas organizações a submeterem as suas aplicações online junto da agência nacional respectiva – no caso português pode encontrar informações no site da Agência Nacional Erasmus+ ou ainda no site do programa Portugal 2020 – ou então da Agência Executiva relativa à Educação, Audiovisual e Cultura (EACEA), agência responsável pela gestão do Erasmus+, bem como de outros projectos. Os formulários para as aplicações online estão ainda a ser preparados, nota a Comissão, sendo que pode obter mais informações no site da Comissão Europeia destinado a este programa.

 

Já os cidadãos particulares que pretendam candidatar-se deverão contactar directamente os seus respectivos estabelecimentos de ensino, instituição ou organização. As propostas deverão incidir nas áreas da Educação, Formação e Juventude.

 

Instituído em 2014, o Erasmus+ é um programa da União Europeia (UE) para a Educação, Formação, Juventude e Desporto, que se estrutura em três acções-chave (Mobilidades Individuais para fins de aprendizagem; Cooperação para Inovação e Boas Práticas; Apoio à Reforma) e ainda nas actividades Jean Monnet e Desporto.

 

No comunicado hoje emitido pela Comissão Europeia explica-se ainda que o Erasmus+ irá beneficiar não só os estudantes Erasmus mas também professores, estagiários, voluntários e jovens envolvidos em projectos relacionados com desporto.

 

O Erasmus+ incentiva também a cooperação entre diferentes instituições de ensino, organizações de jovens e empresas e, tal como se verificou em 2016, será dada "prioridade a projectos que promovam a inclusão social".

 

A Comissão Europeia explica que o incremento no orçamento do programa se deve ao "reconhecimento do impacto positivo" do mesmo "nas vidas e projectos pessoais de pessoas por toda a Europa".

 

E tal como já havia sido anunciado por Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão, o orçamento do Erasmus+ destinar-se-á também à criação de uma Corporação Solidária Europeia, através da qual os jovens de toda a UE poderão ser voluntários "onde é mais necessário".




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 2 semanas


Um governo de ladrões

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO



NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

comentários mais recentes
zé dos bois Há 2 semanas

é assim mesmo! Toca a passear.
a malta nove merece

Anónimo Há 2 semanas


Um governo de ladrões

PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO AOS FP:


- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.


Anónimo Há 2 semanas


Um governo de ladrões

PS - PCP - BE -- ROUBAM OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO



NOVAS PENSÕES MÍNIMAS SERÃO SUJEITAS A PROVA DE RENDIMENTO...

para se gastar mais dinheiro com os subsídios às pensões douradas da CGA.


(As pensões da CGA são subsidiadas em 500€, 1000€, 1500€ e mais, por mês.

Estas pensões sim, devem ser sujeitas a condição de recursos.

E não as mínimas.)

pub
pub
pub
pub