Educação SIPE propõe simulação informática para colocar professores

SIPE propõe simulação informática para colocar professores

O Sindicato Independente de Professores e Educadores (SIPE) propôs à tutela uma simulação informática que permitirá colocar professores no horário livre da escola mais próxima, anunciou a estrutura sindical esta quarta-feira.
SIPE propõe simulação informática para colocar professores
Correio da Manhã
Lusa 13 de setembro de 2017 às 23:03

De acordo com o sindicato, a proposta foi apresentada ao Ministério da Educação e à Direcção Geral da Administração Escolar (DGAE). O objectivo é fazer correr a aplicação informática que ditou os horários publicados em 25 de agosto e os relativos à primeira reserva de recrutamento, a fim de verificar onde deveriam ter sido colocados os docentes que foram deslocados para centenas de quilómetros da sua opção, explicou o SIPE em comunicado.

 

Para este sindicato, a solução passaria por "identificar onde deveriam ter sido colocados os docentes deslocados para centenas de quilómetros das suas áreas de residência" e colocá-los no horário disponível da escola mais próxima, num raio de 20 quilómetros. "Se não houver horário em nenhum agrupamento, ficam a aguardar na última escola de colocação", refere-se no texto divulgado pelo SIPE.

 

O sindicato considera que o ministério não pode adiar mais a resolução deste problema, pelo que solicitou uma reunião com carácter de urgência ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, à semelhança do que fizeram as federações sindicais de professores, que serão recebidas no ministério na sexta-feira.

 

O SIPE tenciona também solicitar à tutela a abertura de um processo negocial para um novo concurso de professores, em que todos sejam colocados de acordo com a graduação profissional.

 

Os professores têm alegado injustiças nas colocações determinadas pela mobilidade interna e pela reserva de recrutamento, instrumentos que completam o concurso geral nacional.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Alexandre Lourenço Há 6 dias

É interessante verificar que os sindicatos continuam iguais a si mesmo. Ainda não vi nenhum sindicato a criticar o governo pela injustiça que são os concursos de vinculação extraordinária, onde professores que não são do quadro ultrapassam outros que fizeram muito sacrifício para lhe pertencer.

pub